Vereadores de Jandira decidem que prefeito fica no cargo

Geraldo Teotônio da Silva (PV), o Gê, é suspeito de desviar de dinheiro de hospital. Caixas de pizza foram jogadas no chão como protesto após o resultado.

Vereadores da Câmara de Jandira decidiram manter o prefeito Geraldo Teotônio da Silva (PV) no cargo. Ele é suspeito de desviar de dinheiro do Hospital Municipal. A decisão aconteceu na última sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o caso.

O prefeito teve nove votos a favor e quatro contra. Caixas de pizza foram jogadas no chão como protesto após o resultado.

Depois de cinquenta dias de investigação, a polícia entregou para a Câmara vários documentos da Prefeitura e do hospital. Neles, os vereadores dizem que há indícios de que o dinheiro que deveria ir para a saúde foi usado para despesas pessoais de diretores do Instituto de Apoio e Gestão da Saúde (Iages), contratada pela cidade para administrar o hospital.

Os documentos também indicariam que o prefeito pagou hospedagem num hotel de luxo com esse dinheiro e sabia de tudo o acontecia no hospital. No começo da sessão da CPI, os advogados do prefeito negaram todas as acusações.

Para a cassação do prefeito, são necessários 9 votos dos 13 vereadores da Câmara. A sessão está prevista para terminar por volta das 16h. O prefeito não apareceu, e enviou dois advogados.

O Hospital Municipal de Jandira é um dos maiores da região e está em crise há um bom tempo. No ano passado, médicos e funcionários chegaram até a parar de atender porque os salários estavam atrasados. Os moradores dizem que a situação não melhorou.

Do G1