Veja 25 dicas para economizar energia elétrica no inverno

Com a chegada do inverno e a diminuição das temperaturas, consumidores alteram os seus hábitos para preservar a sensação de conforto na estação mais fria do ano. Banhos se tornam mais demorados, aquecedores e aparelhos de ar-condicionado passam mais tempo ligados para aquecer os ambientes e secadoras de roupa passam a ser usadas com frequência. Apesar do bem-estar que proporcionam, esses equipamentos aumentam o consumo de energia, exigindo que os consumidores fiquem atentos para evitar surpresas desagradáveis no final do mês.

O tema ganha ainda mais importância no cenário da pandemia, no qual as pessoas estão passando mais tempo dentro de suas casas, e da atual crise hídrica que reduziu o nível dos reservatórios, encarecendo o custo da energia para os brasileiros. Neste dia 21 de junho, data em que tem início oficialmente o período de inverno no Brasil, a Enel compartilha 25 dicas para que os consumidores possam curtir o friozinho do inverno com economia no valor da conta de luz:

Chuveiros Elétricos:
1.A recomendação é ficar o mínimo possível no banho. Os aparelhos mais comuns têm potência de, aproximadamente, 5.500W. Desta forma, o banho de 15 minutos por dia, por pessoa, para uma família de quatro pessoas, equivale ao consumo de energia de mais de 400 lâmpadas LED de 13W ligadas por uma hora, o que corresponde a cerca de R$ 100 na conta.
2.Se utilizarmos o chuveiro elétrico na posição morno ou verão, haverá uma economia de cerca de 30%, ou seja, R$ 30,00. Se possível, programe o banho para as horas mais quentes do dia.

Aquecedores e ar-condicionado:
3.No inverno, podem chegar a corresponder a 1/3 do gasto doméstico com eletricidade, conforme a utilização. Evite deixar o aquecedor ligado por longos períodos e utilize-o apenas quando estiver no ambiente.
4.Em relação aos aparelhos de ar-condicionado, evite usá-lo por períodos longos e opte por modelos inverter, que são mais eficientes e econômicos.

Iluminação:
5.Aproveite a luz natural e abra janelas e cortinas durante o dia.
6.Ao pintar paredes e tetos, dê preferência às cores claras, que refletem melhor a luminosidade.
7.Troque lâmpadas incandescentes por fluorescentes ou LED, que consomem de 60% a 80% menos energia e aquecem menos o ambiente.

TVs e Computadores:
8.Não deixe a TV ligada sem que haja alguém assistindo.
9.Programe o timer (desligamento automático) antes de dormir, evitando que a TV fique ligada desnecessariamente.
10.No caso do computador, desligue o aparelho sempre que ficar mais de 2 horas sem utilização.
11.Desligue o monitor a partir de 15 minutos de inatividade.

Stand-by:
12.Desligue ou tire da tomada quando não estiver usando um eletrodoméstico.
13.Não deixe os aparelhos em stand-by, porque seguem consumindo energia.

Máquinas de lavar e secar:
14.Utilize a capacidade máxima das máquinas de lavar e secar.
15.Nas máquinas de lavar, fique alerta à quantidade de sabão, evitando repetir a operação de enxágue.
16.Para as máquinas que têm a função de água aquecida, a empresa recomenda não usar esse recurso.
17.Quanto às secadoras, utilize-as apenas quando realmente necessário e com a capacidade máxima.

Geladeiras:
18.Não abra a porta da geladeira desnecessariamente para não forçar o motor do eletrodoméstico.
19.Verifique se a borracha de vedação da porta está cumprindo sua função.
20.Nunca utilize a parte traseira do equipamento para secar roupas ou sapatos.
21.No inverno, reduza a potência de resfriamento da geladeira, tendo em vista que a temperatura externa já estará mais fria.

Eficiência Energética dos equipamentos
22.Escolha eletrodomésticos de baixo consumo de energia, de preferência com selo A do Procel.
23.Procure por aparelhos com selo do Procel (no caso de nacionais), preferencialmente com alta eficiência energética, ou Energy Star (no caso de importados).

Outras dicas:
24.Sempre desligue os aparelhos ao sair de um ambiente. Nas pausas para o almoço ou intervalo, faça o mesmo.
25.Verifique periodicamente as condições da rede elétrica interna para identificar pontos de fuga de energia, que aumenta o valor da conta de luz, ou fios e cabos desencapados que podem trazer risco à segurança dos moradores.