Renda per capita em Cotia e região dobra em dez anos, mas ainda é baixa

Valor médio mensal, nos últimos dez anos, para cada morador da região Oeste da Grande São Paulo passou de R$ 385,80 para R$ 766,78. Mesmo assim, está abaixo da média estadual, que é de R$ 1.166,00.

Em um intervalo de 10 anos, a renda per capita de moradores das cidades da região Oeste praticamente dobrou. Mas, ainda assim, está abaixo da média estadual. Esses são os resultados de estudo divulgado esta semana, pela Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados) com base nos Censos Demográficos do IBGE de 2000 e de 2010.

De acordo com o levantamento, cada morador da região, com mais de 10 anos, têm uma renda mensal de R$ 766,78, valor 98% maior que o registrado na coleta de dados anterior, quando a renda per capita era de R$ 385,80. Já a média estadual é de R$ 1.166,00. O cálculo, de acordo com o Seade, envolve, além de salários, outras fontes de renda da população, como aluguéis, aposentadorias, juros de aplicações financeiras e Bolsa Família. No levantamento por municípios, a pesquisa também revela que Santana de Parnaíba tem a maior renda per capita da região, de R$1506,66. Ela é ainda a única cidade a superar a média estadual, se juntando a outros 32 municípios paulista cuja renda é maior que a média paulista.

Do outro lado dessa balança está Pirapora do Bom Jesus, que tem renda per capita de R$ 433,73, a menor da região. Barueri é a dona da segunda maior renda, de R$ 877,46, seguida por Cotia, com R$ 822,64. Osasco aparece na quarta colocação, com R$ 757,55 de renda per capita. Jandira vem logo atrás, com R$ 683,76. Carapicuíba, com renda de R$ 577,56, ficou com o sexto lugar, deixando Itapevi em sétimo, com R$ 474,89.

Por Erica Celestini – Webdiario