Psicóloga Maristela Guadagnin: Você sabe a diferença de estupro e abuso sexual?

Maio chegou e junto com ele a campanha de prevenção de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. Você sabia que 70% dos abusos sexuais acontecem em casa?
É preciso estar atento nas relações e comportamentos da criança porque muitas vezes ela não virá contar o que está acontecendo, porque entende que é um afeto, e não um crime grotesco e que deve ser evitado.

Diferente do estupro que é um ato violento, bruto, que envolve muitas vezes agressões, ameaças, dor e a vítima pede socorro, o abuso, ocorre com carícia nas genitálias da criança ou do adolescente, é um ato sedutor e acima de qualquer suspeita. Muitas vezes a criança nem entende que está sendo abusada, justamente por que o abusador é um amigo ou familiar próximo, muito carinhoso, e uso do afeto para praticar o crime.
Há alguns indícios de que a criança pode estar sendo abusada. São eles:

– Atitudes sexuais exacerbadas;
– Demonstração de muita ansiedade ou agitação fora do comum;
– Comportamento fora do habitual;
– Insônia;
– Inadequação social;
– Isolamento com sinais de depressão ou muita tristeza;
– Mudança no hábito alimentar;
– Queda no rendimento escolar;

A recomendação é sempre conversar muito com as crianças e manter o canal do diálogo sempre aberto, para que elas se sintam à vontade para expor alguma coisa que esteja lhes confundindo ou incomodando. Outra medida importante é sempre reforçar de que o corpo dela é algo privado e não deve ser tocado por mais ninguém. A não ser sua mãe ou o seu médico, contanto que ele esteja na presença de outro adulto. Também não incentive a criança a guardar “segredinhos”, muitas vezes ela não sabe diferenciar um segredo bom de um ruim.

Em caso de suspeita de violência sexual infanto-juvenil, procure ajuda de um profissional capacitado (psicólogo, médico, assistente social) do Conselho Tutelar ou Disque 100 para denunciar.

*Maristela Cristina Bedinotti Guadagnin (CRP. 06/107985) é Psicóloga e Psicopedagoga e escreve no Jornal Cotia Agora. Pós graduada em Psicodiagnóstico e Avaliação Psicológica. Atua na área clínica desde 2012, realiza atendimentos presenciais e online, oficinas das emoções, orientação parental, palestras e workshops. É coautora dos livros “Relações: Conversando sobre a arte de relacionar-se” pela editora APMC e do livro: “Falando abertamente sobre a adolescência” pela DaPauta Editora.
Telefone: (11) 9-7082-1559 – Instagram: @psicomaristelaguadagnin