Polícia Federal prende envolvido em esquema de corrupção e fraudes no INSS de Cotia

A Polícia Federal deflagrou a Operação Captionem nesta quarta-feira (26), em Cotia, Itapevi e Carapicuíba, com objetivo de desarticular um grupo especializado em fraudes e corrupção, formado por funcionários públicos em exercício há pouco mais de um ano no INSS, advogados e intermediários.

Em Cotia, um funcionário da agência do INSS da cidade foi preso em sua residência.

Foram cumpridos em agências do INSS, escritórios e residências dos envolvidos 11 mandados expedidos pela 1ª Vara Federal de Osasco, sendo dois de prisão preventiva, um de prisão temporária e oito mandados de busca e apreensão.

As investigações foram realizadas por meio da força-tarefa previdenciária em São Paulo, composta pela Polícia Federal e a coordenação geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista do Ministério da Economia, e contou com a colaboração do INSS e da AGU (Advocacia Geral da União).

Segundo a PF, durante a investigação, os policiais descobriram que os criminosos se aproveitavam de pessoas humildes, sem acesso a computadores, smartphones, scanners e internet, e que precisavam ir ao INSS para ter os documentos digitalizados.

O agente público envolvido atendia essas pessoas, mas deixava de anexar os documentos escaneados no processo concessório digital, de modo a provocar o indeferimento. Lesadas e desesperadas, as vítimas voltavam ao INSS e procuravam pelo funcionário, o qual apontava um escritório de advocacia, do qual era sócio, como solução, no caso de Cotia, era do filho do funcionário.

Se o atendimento fosse bem prestado, a concessão do benefício, que deveria ser gratuita e mais célere, ocorria muito tempo depois, mediante uma decisão judicial, com incidência de honorários advocatícios arcados pelos segurados.

Do R7 com informações do Cotia Agora