Maestro João Carlos Martins ganha exposição de 1.000m² em SP

O maestro e pianista João Carlos Martins, 80 anos, ganha uma exposição inédita em São Paulo. Sua trajetória na música será contada pelo curador e diretor artístico Jorge Takla, e fica aberta ao público a partir desta quarta-feira (16), na Galeria de Arte do Centro Cultural Fiesp, com entrada gratuita.

Boa parte do material obtido por Takla desse, que é um dos músicos mais geniais de todos os tempos (do mundo, não só do Brasil), veio do exterior.

Em pleno século 21, Martins ainda é o único músico a ter gravado a obra completa de Bach para teclado, entre outras façanhas. “João talvez seja hoje o único artista e cidadão brasileiro que dedique seu tempo integral à música, à arte, à formação de novos artistas e às apresentações gratuitas para o povo”, afirma Takla, renomado diretor com 45 anos de carreira, especializado em óperas (ou seja, uma raridade no país).

Imersão total
O objetivo da exposição é uma imersão total na música e na vida do maestro da orquestra Sesi Bachiana.

Logo na entrada da exposição, o público já ouve uma orquestra afinando os instrumentos, num prenúncio do que será essa viagem à música clássica mundial executada ou conduzida por um brasileiro.

São milhares de fotos, textos, vídeos, filmes e objetos que marcaram a carreira de João Carlos até aqui (esqueçam, ele não vai se aposentar) como pianista e como maestro. Assim é dividida a exposição: piano e batuta.

Um dos destaques da mostra será a “Sala Do Piano”, onde um holograma de João Carlos “conversa” com o público e toca interpretações memoráveis de sua carreira (adivinhem se não tem Johann Sebastian Bach?).

Obras sociais
Outra parte da exposição é dedicada ao trabalho social que o maestro vem dedicando às classes sociais mais desfavorecidas, como a Orquestra de Heliópolis, além do trabalho de capacitação técnica e artística —gratuita— de regentes via plataforma online.

Além disso, há os “Núcleos de Música” que oferecem cursos livres e gratuitos de iniciação musical e de instrumentos de cordas para crianças e adultos nos centros de atividade do Sesi no Estado de São Paulo.

A dor
Por fim, infelizmente, não poderia faltar o sofrimento. Uma palavra —e uma sensação física— que vem fazendo parte da vida de João Carlos Martins há décadas.

O maestro e pianista já passou por dezenas de cirurgias devido a acidentes, violência e finalmente a distonia focal —um distúrbio neurológico que atinge mais de 30 milhões de pessoas no mundo e se caracteriza por movimentos e posturas musculares anormais.

Só para os leitores terem uma ideia: o maestro não pode nem sequer conversar com ninguém por muito tempo, pois o ato de conversar, depois de um período, começa a provocar nele dores lancinantes.

A mostra conta por fim com uma coreografia inédita de Anselmo Zolla, especialmente criada para a mostra.

Trata-se de um “Pas de Deux” executado por um casal de bailarinos da Studio3 Cia. de Dança, ao som de Martins ao piano em um tango de Astor Piazzolla.

Exposição: João Carlos Martins – 80 Anos de Música
Quando: de 16 de junho a 26 de setembro
Onde: Galeria de Arte do Centro Cultural Fiesp
Horário: De quarta a domingo, das 13h às 20h
Endereço: Avenida Paulista, 1313 (em frente à estação do Metrô Trianon-Masp)
Entrada: Gratuita

Por Ricardo Feltrin – Uol