Gás natural encanado está 39% mais caro desde sábado

Deste sábado (1) começou a valer o reajuste de 39% do gás natural, anunciado pela Petrobras no começo do mês passado. O aumento do valor vai impactar restaurantes, indústrias e geradoras de energia elétrica, mas também deve afetar o bolso do consumidor brasileiro.

Na época, a estatal informou que o aumento do produto se deve as alterações nas aplicações das fórmulas de contratos de fornecimento, calculadas por meio da cotação do petróleo e taxa de câmbio.

“Os preços de gás natural da Petrobras também incluem o repasse dos custos incorridos pela companhia para o transporte do energético até o ponto de entrega às distribuidoras, que são definidos por tarifas reguladas pela ANP – Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Esta parcela do preço é atualizada anualmente no mês de maio pelo IGP-M, que, para o período de aferição (março de 2020 a março de 2021), registrou alta de 31%”, afirmou em comunicado.

Embora não diretamente, o reajuste do gás natural deverá provocar aumento nos preços de produtos como fertilizantes, vidro, papel, produtos químicos, cerâmica, cimento e alumínio. Essas empresas devem sentir o maior impacto do aumento do gás.

O consumidor também deve ser afetado pelo reajuste do gás de cozinha. O material não é usado como todo no cálculo do GLP – Gás Liquefeito de Petróleo, mas influência em seu preço final. Atualmente, o GLP custa, em média, R$ 105, valor bem mais alto se comparado a promessa do ministro da Economia, Paulo Guedes, em diminuir o preço do produto para R$ 35.

A alteração nos valores do gás natural também deve mexer com o valor das contas de energia em casas abastecidas por usinas termelétricas. O custo para geração térmica apresenta tendencia de subida, que pode ser repassado aos preços pelas distribuidoras de energia, elevando o preço da conta para o consumidor final.

Para quem possui carro movido a GNV – Gás Natural Veicular também devem pesar no bolso do motorista. O combustível utiliza o gás natural para conseguir abastecer o carro. O reajuste, no entanto, depende das distribuidoras e dos estabelecimentos autorizados para a venda do produto.

Do iG