Erasure, ícone tecnopop dos anos 80, lança álbum

Sabe, a música dos anos oitenta continua viva porque tem substância, harmonia, ritmo e envolve as pessoas. Olhando para nós mesmos, temos uma legião de fãs que continua nos ouvindo e nos seguindo. Isso por 20, 30 anos“, diz Vince Clarke, do famoso duo de synthpop Erasure, em exclusiva ao Virgula. “Agora, para os jovens que buscam esse tipo de música, penso que naquela década fizemos um som inexplicável, que tem um ‘grande negócio’, ou ‘um grande lance’ que continua se propagando e influenciando outros artistas“, tenta explicar o britânico, que já integrou o Yazoo e Depeche Mode.

Na ativa desde 1985, o Erasure chega em 2017 com um novo álbum de estúdio, World Be Gone, que será lançado em 19 de maio. O trabalho traz uma atmosfera otimista e esperançosa em tempos caóticos, e Clarke conta melhor sobre: “No momento precisamos de pessoas mais felizes no mundo. Precisamos de sentimentos bons. Foi ótimo fazer um disco focado nesse clima ‘pra cima’”. Da parte sonora, o músico conta que ouviu várias bandas inglesas instrumentais durante a composição: “Foram bandas que soavam como se fossem trilha sonora de filmes para mim“.

Para dar um gostinho do que está por vir, o duo lançou o remix de Love You To The Sky, primeiro single do novo álbum e realmente entrega essa ‘good vibe’ do trabalho. “Pessoalmente, gosto de ouvir o disco no fim da tarde, quando o sol se põe, quando o dia se vai e você está em um momento de relaxamento. É nessa hora que o álbum se conecta com o ouvinte e o faz refletir“, diz Clarke. “Não são músicas super pop ou grandes gravações. São canções que farão as pessoas curtirem de um jeito diferente“.

Para divulgar o álbum, o Erasure sairá em turnê europeia com o também britânico Robbie Williams, e para Clarke essa notícia é só alegria: “Eu já encontrei Robbie milhares de vezes. Ele é um cara super legal e sempre falávamos de tocar juntos, mas nunca aconteceu. Agora poderemos nos apresentar para milhares de pessoas. Será um encontro maravilhoso“, e complementa: “Robbie tem um público que não é velho, é mais jovem. Então será uma ótima oportunidade para conhecerem o nosso trabalho“.

Como o assunto é turnê, Clarke confirma que o Erasure vem ao Brasil, mas vai demorar um pouquinho: “A última vez que estivemos no Brasil foi há 6 anos e foi fantástico. Além dos shows, do público maravilhoso, fizemos super amigos aí e não vemos a hora de repetir essa sensação em 2019, quando voltaremos ao país para shows. Já estou ansioso por isso!”.

Nós também, Clarke!

Por Itaici Brunetti – Vírgula