CT/Academia de Beisebol da Yakult em Ibiúna comemora 20 anos

Tradicional apoiadora do beisebol no Japão, onde mantém um time profissional, o Tokyo Yakult Swallows, vencedor de cinco títulos da liga Nippon Professional Baseball, a Yakult apoia o esporte no Brasil desde 1999, quando inaugurou o Centro de Treinamento/Academia na Rodovia Bunjiro Nakao, em Ibiúna.

Ao completar 20 anos, a importância da iniciativa se reflete nos números: cerca de 800 atletas passaram pela Academia, treinando diariamente em sistema de internato e, destes, aproximadamente 100 já foram contratados para jogar em equipes profissionais do Japão (incluindo Liga Industrial e Liga Independente), Estados Unidos, Itália, França, República Dominicana, México e Venezuela, países onde o beisebol é um esporte altamente competitivo. Além disso, muitos outros atletas conseguiram bolsa de estudos integral em universidades do Japão e dos Estados Unidos.

Em 2017, o Centro de Treinamento foi transformado na Academia MLB Brasil, uma parceria entre a MLB – Major League Baseball, dos Estados Unidos, com a CBBS – Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol, parceira da Yakult desde 2000 e responsável pela coordenação esportiva da Academia. Segundo o presidente da CBBS, Jorge Otsuka, a Major League Baseball escolheu o Centro de Treinamento/Academia da Yakult como sede no País porque viu ótimos resultados dos atletas na Liga e ótima estrutura já organizada. “A Yakult é a nossa maior parceira e este é um projeto muito importante para o beisebol no Brasil. Além de proprietária do CT, a empresa faz a manutenção deste importante complexo esportivo, onde realizamos os campeonatos mais importantes do calendário brasileiro, inclusive das categorias de base”, acrescenta.

Criado com objetivo de massificar, desenvolver e divulgar o beisebol no Brasil, o Centro de Treinamento/Academia da Yakult também é reconhecido como um celeiro de novos talentos, atraindo a atenção de ‘olheiros’ de equipes da MLB e de universidades japonesas e norte-americanas, entre outras ligas que vêm buscar os melhores atletas brasileiros. “Temos muito orgulho de fazer parte desse importante projeto que visa estimular o gosto pelo beisebol, mostrar aos jovens que o esporte pode ser uma opção de carreira e formar atletas de alto nível que se destacam nos maiores campeonatos de beisebol do mundo”, ressalta o presidente da Yakult do Brasil, Atsushi Nemoto.

Atualmente, a Academia mantém 30 jogadores que passam por seletiva para serem aceitos, pois o objetivo é o alto rendimento. “No Centro de Treinamento/Academia são treinados os melhores atletas de beisebol do Brasil, de 13 a 18 anos de idade, além de ser a sede dos treinamentos das seleções nacionais, desde a categoria de base até os adultos”, acentua o coordenador técnico da CBBS, Ricardo Iguchi.

O Centro de Treinamento/Academia da Yakult possui 226 mil m² de área total. O complexo esportivo comporta 3 mil pessoas e possui três campos oficiais, salas de musculação, de fisioterapia e de treinamentos, piscina, lago, quadras poliesportivas e estacionamento para mil carros. Em média, são realizados 35 campeonatos nacionais, estaduais e torneios anualmente no complexo esportivo e, no decorrer desses 20 anos, já recebeu vários eventos internacionais, assim como as seletivas para a Seleção Brasileira.

SELETIVAS
Jovens nascidos de 2003 a 2007 que sonham participar da MLB terão a chance de iniciar o seu caminho no esporte por meio de seletivas que acontecerão de 11 a 14 e de 18 a 21 de novembro no Centro de Treinamento/ Academia da Yakult. A MLB, com o apoio da CBBS, realizará quatro sessões de treinos abertos para os novos talentos. Os interessados deverão confirmar presença com o treinador da MLB na Academia, Thiago Caldeira (e-mail [email protected]com — celular (15) 98131-3070), ou com o consultor da MLB no Brasil, Caio Parente (e-mail [email protected] – celular (11) 99612-1065). As seletivas são abertas e ocorrerão às 14h. O endereço é Rodovia Bunjiro Nakao, km 58,5 Ibiúna.

Atualmente, 20 atletas brasileiros possuem contratos ativos com franquias da MLB, com destaque para Yan Gomes (Washington Nationals) que disputa pela segunda vez a World Series, grande final da maior liga de beisebol do mundo. “Quem pratica beisebol tem muito a ganhar, pois é um esporte que dá muito valor à disciplina, dedicação e ao trabalho em equipe. É um esporte que prioriza a técnica, mas também envolve a capacidade física e mental do atleta e proporciona muitas oportunidades de carreira”, reforça o treinador Thiago Caldeira.

O BEISEBOL
Criado nos Estados Unidos em 1839, as regras do beisebol só surgiram seis anos depois, pelas mãos do norte-americano Alexander Cartwright. A partir daí, o esporte passou a ser o mais popular naquele país, assim como ocorre no Japão, onde também possui milhares de adeptos. No Brasil, o beisebol chegou em 1850 trazido por imigrantes norte-americanos que vieram trabalhar em multinacionais e no Consulado dos Estados Unidos, e ganhou ainda mais impulso com a chegada dos imigrantes japoneses, a partir de 1908. Alguns times no Brasil foram criados nos anos de 1910 e 1920, e o primeiro estádio oficial foi inaugurado em 1958 — Estádio Municipal de Beisebol Mie Nishi, em São Paulo. Atualmente, o País tem 35 campeonatos oficiais de beisebol — além de 15 de softbol (feminino) — coordenados pela CBBS, que reúnem aproximadamente 3,5 mil atletas filiados e outros 20 mil praticantes.