Cotia 165 anos: Conheça o histórico do município

Neste 2 de abril de 2020, Cotia completa 165 anos. Por sua posição estratégica, a cidade já foi a porta do sertão

O início da história de Cotia se deu por volta de 1700, quando viajantes se dirigiam para o interior do estado, parando aqui para descansar e se alimentar. A origem do nome da cidade é indígena e se deve ao fato de seus caminhos serem sinuosos como o trajeto feito pelos animais do mesmo nome. O local onde situa-se, hoje, a cidade de Cotia era um ponto de passagem, próximo ao aldeamento de Aku’ti, no Caiapiá. Mais tarde passou a chamar Cuty.

Em estilo barroco, foi erguida no Caiapiá (lugar onde existiam ervas medicinais do mesmo nome), uma capela indicando a rota do Peabiru (sul do atual Paraná) e bandeirantes, como Raposo Tavares, Fernão Dias Paes, Affonso Sardinha, Antônio Bicudo, Pero Dias, Manoel Esteves e Antônio Prieto, entre outros proprietários de sesmarias na região passaram por ela. Provavelmente, em 1652, foram construídos dois sítios sob as designações de Mandú e Padre Inácio. Hoje, marcos vivos da saga sertaneja bandeirante.

Acutia, como era chamada a povoação de estrada pelos jesuítas e aqueles que buscavam um caminho para o Oeste, teve sua consolidação junto à Capela de Nossa Senhora de Monte Serrat, no ano de 1713. Em 1723, a Capela foi elevada à categoria de Freguesia. No ano de 1703, quando o sertão já era conhecido a Oeste, foi mudada a Capela, dedicada a Nossa Senhora de Monte Serrat, para a atual Praça de Matriz, distante 1.500 metros do Caiapiá.

Nos escritos históricos sobre a Revolução Liberal de 1842, encontram-se muitas citações referentes à Cotia, no levante liberado pelo padre Diogo Feijó e Tobias Aguiar. Aqui, estiveram acampadas as tropas liberais, que, mais tarde, foram batizadas por Caxias, em Pinheiros. Também, segundo a história, nasceram em Cotia o padre Diogo Feijó e o poeta Manoel Baptista Cepellos.

O município teve um crescimento acelerado a partir de 1750. Segundo o censo da época, Cotia tinha 3.770 habitantes, sendo 17% escravos, trabalhando em fazendas e sesmarias, e 83% cidadãos livres.

Histórica e geograficamente, pontos como Cotia, Embú, Itapevi, Barueri e Itapecerica da Serra passaram a ser fortes e postos naturalmente avançados para defesa e o abastecimento da Vila e do Planalto de Piratininga.

Com a política rígida de povoamento e a fixação das gentes, ordenadas pelo Capitão General D. Luiz de Souza Botelho e Mourão (o popular iluminista Morgado de Matheus), que chefiou a capitânia de 1765 a 1775), esses pontos começaram a evidenciar um crescimento econômico considerável. Tanto que Morgado de Matheus decidiu fundar aqui a primeira Associação dos Homens de Negócios e o primeiro Mercado Público.

No dia 2 de abril de 1856, o vice-prefeito da província de São Paulo, Antônio Roberto de Almeida, elevou a freguesia de Acutia à condição de Vila. Na mesma ocasião, instalou-se a primeira Câmara de Vereadores. A sessão solene de instalação foi presidida pelo Dr. Avelar Brotero, presidente da Câmara Municipal da Imperial Cidade de São Paulo.

Finalmente, em 19 de dezembro de 1906, através da Lei Estadual n.º 1.030, foi elevada à categoria de Município. Politicamente, em um passado mais recente, as famosas brigas entre as famílias Pires e Camargo tiveram início e desfecho em Cotia, onde possuíam (e possuem) grandes glebas de terras. Curiosamente, em 1940, acabou acontecendo um casamento entre membros das duas famílias: o ex-prefeito Carmelino Pires de Oliveira (falecido em 1998) com Luiza Camargo Barnabé.

Cotia, terra de contrastes

Cotia tem uma urbanidade própria. Tem um distrito, Caucaia do Alto, e vários bairros, entre eles a Granja Viana, caracterizado por seus condomínios de alto luxo. Ao longo da Rodovia Raposo Tavares, desenvolve-se um cinturão industrial moderno. Em todo o município, mantém-se uma cultura enraizada nos valores folclóricos em meio à arte vanguardista. Em 1913, a região recebeu os primeiros imigrantes japoneses que deram origem a uma evolução técnico-rural que tinha, na construção da Praça Japonesa, um memorial marcante.

Hoje, nossa área urbana conta com modernos parques industriais, empresas prestadoras de serviços, condomínios e loteamentos residenciais de diferentes portes, comércio variado e passagem viária para o interior de São Paulo e sul do país, além de via férrea para transporte de cargas para o litoral.

Paralelamente, outra realidade surpreende: sua origem rural, quase interiorana, marcos históricos com duas casas bandeiristas, manifestações culturais e antropológicas, tradições étnicas e um importante polo ecológico, que é a Reserva do Morro Grande.

Informações Gerais do Município de Cotia

Emancipação Política – Administrativa: 2 de abril de 1856

Localização
Região Oeste da Grande São Paulo e sudoeste do Estado de São Paulo
Acesso: Rodovia Raposo Tavares – SP 270
Distância da Capital – 34 Km do marco zero na Praça da Sé
Distância da Capital Federal – 1.049 km
Área Total: 325 km²

Posição Geográfica
Latitude: 23º 36’ 09’’ S
Longitude: W. G. 46º 55’53’’ W
Limites:
Norte: Carapicuíba, Jandira e Itapevi
Sul: Itapecerica da Serra
Leste: Embu, Taboão da Serra, Osasco e São Paulo
Oeste: Ibiúna, Vargem Grande Paulista, Itapevi e São Roque.

Topografia
Muito acidentada, predominando vales e montanhas (Morro Grande com 900 metros de altura).
Altitude média: 800 metros
Altitude máxima: 1.074 m na Serra de Itatuba, na Reserva Florestal, próximo aos limites de Itapecerica da Serra e Ibiúna.

Hidrografia
Rio Cotia que corta o município, e afluentes;
Rio Sorocamirim, que divide os municípios de Cotia e Ibiuna;
Represa do Morro Grande;
Barragens Pedro Beicht e da Graça;
Cachoeira Furquim e Rincão.

Clima
Clima Tropical – ameno e saudável, graças ao extenso cinturão verde que circunda o município.
Temperaturas
Máxima: 35ºC
Média: 23ºC
Mínima: 7ºC
Período de Chuvas: Janeiro a março
Ventos: amenos
Solo: Média Fertilidade

Vegetação
• Mata Atlântica
• Capoeira

População
(Estimativa IBGE – 2020)
Total: 254.210 habitantes
Densidade Demográfica: 770 habitantes por km²
Número de Eleitores: 174.356

Distritos

Caucaia do Alto
Caucaia do Alto foi elevada a distrito de Cotia em 30 de novembro de 1944. Além de ser a região verde do município, caracteriza-se pela intensa atividade hortifrutigranjeira, abastecendo o Ceagesp. Em 1931, foi inaugurada a Estação Férrea de Caucaia, entre os trechos Mairinque/Santos da Sorocabana. Por ser a estação mais alta do ramal ferroviário, foi incorporado ao nome “Caucaia” o “do Alto”. Há 80 anos, a Romaria de Caucaia à Pirapora do Bom Jesus é um dos eventos marcantes na história do distrito, reunindo cerca de 2 mil pessoas, anualmente.

Pontos Turísticos

Sítio do Mandú ou Casa do Bandeirante – Estrada do Caiapiá – relicário histórico do Ciclo do Ouro, na primeira metade do século 18, altura do km 30 da Raposo Tavares
Museu do Padre Inácio – Estrada do Padre Inácio – Exemplar típico de residência rural paulista do século 19, altura do km 36 da Raposo Tavares
Igreja Matriz de Nossa Senhora de Monte Serrat – Construída em 1713, e localiza-se no centro da cidade.
Reserva Florestal do Morro Grande – Patrimônio da Humanidade, Reserva da Biosfera, do cinturão Verde da Cidade de São Paulo. Sob responsabilidade da Sabesp – Cia de Saneamento do Estado de São Paulo, em parceria com a USP/UNICAMP/CETESB/Polícia Florestal, entre outros. São 4.200 alqueires de mata nativa e 70 km de perímetro em seu entorno, que abrigam importante biodiversidade: rica fauna e flora (macacos, onças-pintadas, jaguatiricas, quatis, tucanos, arapongas, capivaras e outros, além de cotias).
Os rios Capivari, dos Peixes, Cotia e da Graça nascem dentro da Reserva, alimentando o Sistema Alto Cotia, englobando as Barragens da Graça e Pedro Beicht, além da Estação de Tratamento que distribui água para milhares de pessoas.
Essas matas, onde antes viviam os índios Carijós, hoje, é cenário de visitas monitoradas pela Sabesp .

Quedas d’água – Pedro Beicht, da Graça, Furquim e Rincão, Serra do Pai Nobre, altura do km 36 da Raposo Tavares

Convento do Carmelo – Convento de freiras Carmelitas Enclausuradas.
Trilha para jeepeiros e motocross – ao lado da Reserva Florestal de Morro Grande
Cemucam – Centro Municipal de Campismo – parque de 30,5 alqueires, com pavilhões de 1.200m2 cada, quadras de vôlei, futebol de salão, churrasqueiras, quiosques, pista de aeromodelismo, bosques. Acesso pelo km 25 da Raposo Tavares, sentido capital. O parque pertence à Prefeitura de São Paulo.
Templo Budista Zulai – situado em Cotia desde 2003 é o primeiro templo do Monastério Fo Guang Shan na América Latina. Ao ser criado, o Templo Zu Lai mantém a tradição de realizar regularmente as práticas e cerimônias das Escolas de pensamento budista Chan e Terra Pura, oficiando cerimônias de “Oito Preceitos” e retiros de meditação. Orientada pelos preceitos do Budismo Humanista, a ações que o Templo Zu Lai e a Blia empreendem, desde a época de sua criação, baseiam-se em quatro pilares estabelecidos pelo Venerável Mestre: o cultural, o educacional, o das ações sociais e o das práticas religiosas.

Templo budista Odsal Ling – Construído em uma bonita área semirrural em Cotia, o Templo Odsal Ling traz em sua arquitetura elementos que marcam os templos tibetanos tradicionais. Residência oficial de Lama Tsering e de Lama Norbu, o Templo é o principal centro de práticas do Odsal Ling e oferece retiros, ensinamentos e cerimônias elaboradas do budismo vajraiana. O Templo é destinado especialmente aos alunos empenhados na prática budista, mas também é aberto a iniciantes.

Basílica Nossa Senhora do Rosário de Fátima – Arautos do Evangelho
A Basílica Nossa Senhora do Rosário de Fátima, localizada no limite com Embu das Artes , está anexa à Casa de Formação da Sociedade Clerical de Vida Apostólica Virgo Flos Carmeli, dos Arautos do Evangelho.

Kartódromo Internacional da Granja Viana – Campeonatos oficiais, aluguel de karts e provas que reúnem os maiores nomes do automobilismo internacional.

Texto e pesquisa da  jornalista Ângela Miranda