“Contos & Causos de Cotia”: Há um bonde perdido nas matas da cidade

Por Beto Kodiak

Bonde. Sim, o veículo de transporte de passageiros, não esse bonde atual clamado pelos funqueiros imbecis com suas horrorosas músicas (ops….sorry…não é música).

Falo do bonde que transportava passageiros pela Capital de São Paulo. Ele existe ainda, meio que destruído, mas está lá, sim, na mata da propriedade do falecido Dr. Celso, conhecida como Granja Carolina 2, ali ao lado do Jardim Adelina, na altura do Km 35 da Raposo Tavares.

Segundo os relatos dos mais “antigos” da cidade, o bonde foi um presente ao antigo proprietário da área, o Dr. Celso, que tinha uma fazenda que envolvia territórios de Cotia e Itapevi.

Este pequeno bonde da CMTM – Companhia Municipal de Transportes à época, é de 1933. Não se tem registro de onde ele operou, qual a linha que trafegou pela Capital paulista. Mas, o curioso, é ver algumas inscrições em seu corpo de chapa e madeira, como o logo da CMTM, a data que operou e a propaganda de um café “produto fino”.

O bonde está deteriorado com a ação do tempo. Fica em um pequeno galpão de cerca de 30 m² na mata. Falta parte de sua estrutura, ainda tem dois bancos de madeira e o do maquinista, além da alavanca de comando e algumas partes de madeira.

Seria interessante que algum órgão, como o Museu dos Transportes Públicos ou qualquer outro, tentasse resgatar esse exemplar junto à família. Vale lembrar que essa área já está vendida ao Alphaville e em um curto tempo será transformada em mais um condomínio.

Eu tive o prazer de conhecê-lo e viajar no tempo. Veja fotos abaixo:

Leia mais:

“Contos & Causos de Cotia”: Havia peixe e camarão nos córregos de Cotia

Leia mais Contos & Causos de Cotia AQUI

bonde3 bonde4 bonde5 bonde6 bonde7 bonde8 bonde9