Ciclovia da Marginal Pinheiros é reaberta após mais de quatro meses

A ciclovia da Marginal Pinheiros foi reaberta na cidade de São Paulo nesta segunda-feira (3), após pouco mais de quatro meses fechada. A pista, com 22 quilômetros de extensão, passou por reformas como a revitalização do asfalto e novas sinalizações.

No dia 23 de fevereiro, a via foi fechada por causa da pandemia de coronavírus. Na mesma semana, o governo confirmou a concessão do ramal por 36 meses, com patrocínios do banco Santander e da Sabesp (autarquia estadual de saneamento básico). No total, as empresas vão investir R$ 5,4 milhões em melhorias na ciclovia.

Em coletiva no Palácio dos Bandeirantes na sexta-feira (31), o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, afirmou que a reabertura do local vai atender 40,6 mil ciclistas por mês.

Entre outras ações já realizadas na ciclovia estão a retirada de lombadas, a pintura dos bicicletários e uma nova guarita de segurança na altura do parque do Povo – são sete acessos à pista, no total. Houve ainda intervenções de paisagismo, como corte de grama e limpeza – mais de 50 toneladas de lixo foram removidos.

Para aumentar a segurança no trajeto, guardas passarão a atuar presencialmente na via durante todo o seu horário de funcionamento, das 5h30 às 18h30. O espaço também deverá receber iluminação nos próximos meses, para que possa seguir aberto durante a noite.

Interdição parcial

Segundo o governo estadual, parte da ciclovia Rio Pinheiros seguirá interditada, na região da Ponte Eusébio Matoso, até o dia 14 de agosto. Até lá, os ciclistas poderão acessar pela passarela da Cidade Universitária, ir até o Jaguaré e voltar ou acessar pelo Parque do Povo ou Vila Olímpia e ir até a ponte da Euzébio.

Do Metro