Taxista é assassinado em Cotia e Polícia Civil busca pistas do criminoso

Um crime que chocou moradores do Jardim Stela Maris e taxistas de Cotia. Na última terça-feira (14) um taxista que trabalhava no ponto da Praça Joaquim Nunes, no Centro de Cotia, foi assassinado por um vizinho e a Polícia Civil agora está na captura do criminoso, que está foragido.

O Jornal Cotia Agora teve acesso às informações do crime e conta como aconteceu o homicídio no Stela Maris.

Na manhã de terça-feira (14) um vizinho de uma casa ao lado do taxista Anízio Magno Dias (foto da matéria), de 64 anos, achou estranho o fato do táxi dele estar do lado de fora da garagem, já que ele era muito cuidadoso e sempre guardava o veículo.

A residência tem três pavimentos, onde em um morava uma mulher, em outro Anízio e o último havia sido alugado recentemente para um novo inquilino.

Após chamar o taxista em sua casa, o vizinho notou que a porta dos fundos estava aberta. Desconfiado, chamou a Guarda Civil, que ao chegar na casa, os agentes entraram e não encontraram o morador.

Uma pessoa contou aos guardas civis que ao perguntarem para o novo inquilino se havia visto o Anízio, este disse que não e na sequência, fechou a porta de sua casa e saiu para a rua.

Por não terem achado Anízio, os guardas civis foram embora, mas em seguida comunicados de que um sobrinho do taxista foi até a casa do inquilino, abriu a janela e viu o corpo do tio no chão.

Os GCMs voltaram ao local e conversando com o sobrinho do taxista, este contou que entrou primeiro na casa do tio pela janela e pegou a chave reserva do táxi, para ver se Anízio não estava trancado no porta malas. Como não achou, resolveu entrar na casa do inquilino pela janela e encontrou o tio morto.

A Polícia Civil de Cotia foi acionada e descobriu que o inquilino é Guilherme Lopes dos Santos, de 24 anos. Na casa dele não havia móveis, apenas um colchão, roupas e alguns papéis, entre eles uma rescisão de contrato de trabalho.

De posse desse documento, os investigadores foram até a empresa que constava no papel, no bairro do Rio Cotia e souberam que Guilherme havia sido demitido no dia 12 de maio, ou seja, no último domingo.

Lá policiais ainda souberam que Guilherme namorava uma ex funcionária da mesma empresa. Com o endereço da moça, se dirigiram até o Morro do Macaco e a encontraram. Ela contou que já tinha terminado o namoro com Guilherme há cinco meses, mas mesmo assim foi levada para prestar depoimento.

Retornando à casa do taxista e com o auxílio de um chaveiro, o sobrinho reparou que alguns objetos haviam sido roubados, como um notebook, celular, documentos e cartões de banco.

Criminoso se passou pelo taxista no whatsapp

Para se ter ideia de quanto o criminoso é frio e calculista, ele usou o próprio whatsapp do taxista para conversar com um vizinho, se passando por Anísio e contando que havia passado mal e tinha ido ao hospital e após ser atendido, disse que iria dormir na casa de uma amiga, ludibriando os familiares. No momento em que Guilherme conversava no aplicativo, Anízio já estava morto.

O corpo dele foi encontrado com um ferimento na barriga, provavelmente feito por faca, além de uma cinta de nylon amarrada no pescoço e uma fratura no crânio. Anízio foi velado e enterrado em Vargem Grande Paulista na quarta-feira (15).

A Polícia Civil investiga o caso e busca o paradeiro de Guilherme.