Sem conseguir renovar Cartão Bom, estudante de Caucaia tem que caminhar 3 km para chegar à escola

Estudantes que precisam do cartão Bom da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) não conseguem renovar o benefício para pagar meia passagem ou ter direito à isenção total. A renovação dos bilhetes ocorreu por causa da demora na definição do reajuste das passagens. E, com isso, muitos alunos reclamam que não conseguem pagar a viagem. 
 
O reajuste da EMTU começou a valer em dia 12 de fevereiro e afeta 38 cidades da Região Metropolitana de São Paulo. 
 
A dona de casa Eclair Peramo Correa precisa renovar anualmente o cartão que dá direito ao Passe Livre para seu filho ir à escola de ônibus, no centro de Caucaia do Alto. Ela já pagou a taxa anual de R$ 19,25, enviou documentos pela internet para a EMTU e espera desde o dia 23 de janeiro a liberação do cartão. No site da empresa, a mensagem que aparece é: “documentação aguardando análise”. 
 
A família mora em um sítio na região do Bairro dos Pires. As aulas começaram no dia 2 de fevereiro e o menino, de 12 anos, tem ido a pé para a escola porque a mãe não pode gastar R$ 9,60 por dia, o valor da passagem de ida e volta. 
 
Sem alternativa, o menino anda por uma hora e meia em um trajeto de cerca de 3 km por sítios vizinhos e estradas de terra. Em alguns trechos, ele precisa se arriscar na pista da Estrada de Caucaia do Alto, sem calçada, para chegar à escola no centro do Distrito. 
 
Horas depois da reportagem ser exibida, o caso do Ryan foi solucionado, mas para validar o cartão Bom, a mãe do garoto deve passar o bilhete em uma máquina de recarga validador em um posto da EMTU. 
 
Do G1