Quais os principais cuidados deve se ter com o pet no calor?

Cães e gatos sofrem com o calor excessivo no verão e os cuidados com eles devem ser ainda maiores. Questões como a alimentação, os passeios, os banhos e os parasitas, por exemplo, merecem atenção dobrada dos tutores nos dias quentes. Segundo o veterinário Ricardo Cabral, da Virbac — indústria farmacêutica veterinária, os que mais sofrem são os cães de focinho curto, os pets com pelagem longa e os que estão acima do peso. “Independentemente da raça, é muito importante prestar atenção aos sinais que o pet apresenta indicando que está sofrendo com o calor, como respiração ofegante, boca aberta, fraqueza ou qualquer comportamento atípico. Caso o tutor identifique qualquer um desses sintomas, deve procurar pelo médico veterinário”, explica.

Confira as dicas do veterinário para garantir o bem-estar dos pets durante o verão:

CUIDADO COM A HORA DO PASSEIO
“Quem tem animal em casa já deve estar farto de ouvir essa dica, mas é sempre bom relembrar que passear com o pet nos horários mais quentes do dia pode gerar lesões nas patas e na pele do animal”, conta. “Prefira passear nos horários que o sol está menos quente, como antes das 10h e depois das 16h”. Também é aconselhável trocar o asfalto pela grama, por exemplo, já que o asfalto retém mais calor, podendo chegar a temperaturas elevadas machucando as patas.”

ÁGUA À VONTADE
Espalhar potes com água fresca e limpa pela casa ajuda o pet a ingerir mais o líquido e se manter hidratado. “Uma dica é colocar cubos de gelo no pote de água, mantendo o frescor do líquido por mais tempo”, conta o veterinário.

BANHO E TOSA COM FREQUÊNCIA
Nos períodos mais frios, o aconselhável é diminuir a frequência dos banhos no pet, mas no calor ocorre o oposto. “No verão, tanto os cachorros quanto os gatos devem tomar banho pelo menos 1 vez por semana”. Durante o banho, é essencial a utilização de produtos específicos para pets como os shampoos e condicionadores terapêuticos para manter a pele do animal saudável e hidratada. A secagem também deve ser completa, já que a umidade dos pelos pode contribuir com o aparecimento de parasitas. “Se o banho for em casa, utilize um secador para que o pelo do animal fique completamente seco, mas cuidado para manter o aparelho longe da pele do animal durante o uso, pois o ar quente pode provocar queimaduras”. Além disso, a tosa para cães de pelo longo contribui para a diminuição do calor.

ATENÇÃO COM OS PARASITAS
O calor contribui para a reprodução e o aparecimento dos parasitas internos e externos, por isso é primordial que os vermífugos e antipulgas estejam em dia. “A atenção especial dessa época do ano vai para o verme do coração, que é transmitido aos cães por um mosquito vetor e que se reproduz mais na presença de calor e umidade, clima típico do verão”, explica Cabral. “É preciso atentar-se também ao aparecimento de pulgas e carrapatos, que são predominantes nos dias mais quentes”. Caso o animal apresente vômitos, coceira, apatia ou diarreia, o veterinário deverá ser consultado.

LUGAR QUENTE E ABAFADO NEM PENSAR
Manter o animal de estimação em lugar quente e abafado pode gerar uma patologia relacionada ao excesso de calor causando até o óbito do pet. Atente-se em deixá-lo em ambientes aerados, de preferência com pisos frios ou grama.

PASSEIOS PET-FRIENDLY
“Uma dica é levar seu pet para passeios que aceitem animais, como hotéis, parques, shoppings e praias pet-friendly”. Por ser um passeio diferente, o animal irá se divertir bastante. “Lembrando sempre que o tutor deve proporcionar água e alimentação fresca para garantir o conforto do animal”.