Psicóloga Maristela Guadagnin: Mommy Burnout – Síndrome do esgotamento materno

O termo Mommy Burnout é utilizado para definir a exaustão e o estresse crônicos de mães sobrecarregadas em sua rotina e função materna. Esse termo é derivado da Síndrome de Burnout profissional, no qual é uma doença mental que surge após o indivíduo passar por situações de trabalho desgastantes, ou seja, que requerem muita responsabilidade ou até mesmo excesso de competitividade. Essa síndrome surge por excesso de trabalho vinculado à pressão.

A maternidade traz consigo uma reponsabilidade para o resto da vida o que pode gerar também uma preocupação constante e por vezes angustiantes. O burnout não se trata apenas de cansaço, a mãe esgotada fica desesperada por dar conta de tudo.

Sentir-se cansada ao final de um longo dia é natural, desde que a exaustão não vire rotina, atrapalhando as demais atividades e fazendo com que a mãe perca seu interesse e motivação por coisas que antes gostava de fazer.

O burnout materno possui alguns sintomas, tais como: sentimento constante de culpa, pessimismo, exaustão, sentimento de fracasso e de impotência, irritabilidade, falta de interesse, motivação e propósito, falta de prazer no cuidado com os filhos.

Claro que esses sintomas podem fazer parte de nossas vidas em determinados momentos, por isso é preciso atenção a intensidade e frequência desses sentimentos e ficar atenta quanto ao momento de buscar ajuda profissional.

Amor é algo sem limites. Mas energia não. Amor é um motor e energia é o seu combustível. Sem combustível, todo o amor desse mundo não irá leva-la a lugar nenhum.

Você pode não querer ouvir isso, mas para se reabastecer você terá quase sempre, que deixar seus filhos. Desculpe, mas essa é a verdade. Você não pode colocar gasolina no seu tanque enquanto dirige por aí. Você acha que está cumprindo o seu papel (e muito bem) ficando disponível para seus filhos 100% do tempo, mas você não está. Você até está lá, mas não está “com eles”, ligada neles.

Seus filhos precisam de uma mãe que não esteja exausta e que tenha as duas coisas: amor e energia para dar para eles. Eles precisam de uma mãe que tenha ficado tempo suficiente longe deles para que ela volte a sentir um enorme prazer quando estiverem juntos de novo.

Apenas algumas horas longe, conscientemente reabastecendo o seu tanque, fará uma enorme diferença na sua vida. Ou talvez você só precise de uma soneca. Então, tire uma.

Eu sei que isso é difícil, mas você ficará impressionada no quanto uma pequena recarga de energia poderá mudar totalmente a forma com que você enxerga a maternidade.

Tem um ditado que diz: “É preciso de uma tribo inteira para cuidar de uma criança”. Por isso ter uma rede de apoio é imprescindível para que a mãe possa passar por esse momento da vida, de forma mais tranquila.
A rede de apoio auxilia não apenas nas tarefas diárias mas também nos aspectos emocionais que estão envolvidos

A maternidade não é fácil e nunca será, mas não precisa ser pesada todo os dias.

*Maristela Cristina Bedinotti Guadagnin (CRP. 06/107985) é Psicóloga e Psicopedagoga e escreve no Jornal Cotia Agora. Pós graduada em Psicodiagnóstico e Avaliação Psicológica. Atua na área clínica desde 2012, realiza atendimentos presenciais e online, oficinas das emoções, orientação parental, palestras e workshops. É coautora dos livros “Relações: Conversando sobre a arte de relacionar-se” pela editora APMC e do livro: “Falando abertamente sobre a adolescência” pela DaPauta Editora.
Telefone: (11) 9-7082-1559 – Instagram: @psicomaristelaguadagnin