Prometido para 2014, monitoramento contra violência por câmeras em Cotia não saiu do papel

Em 2014 Cotia foi contemplada pelo Governo Federal com o Projeto Crack é Preciso Vencer, que consiste, principalmente, no combate ao tráfico e uso de drogas.

A cidade recebeu um ônibus, dois veículos Voyage e duas motos do Ministério da Justiça, como parte do “pacote” do programa, em um investimento de cerca de R$ 1,5 milhão. Além disso, seriam instaladas 20 câmeras de monitoramento em  pontos considerados vulneráveis, onde havia indícios de tráfico e uso de drogas e também de assaltos.

Neste mês de setembro completam exatos três anos e uma parte do programa não foi aplicado no Município, justamente as câmeras de monitoramento, que ajudariam a combater o crime em locais estratégicos de Cotia.

Em 2015 o Jornal Cotia Agora obteve a informação junto à Secretaria de Segurança e Guarda Civil, que a cidade havia deixado de cumprir algumas metas estabelecidas pelo Governo Federal e havia até o risco de ter de devolver os veículos recebidos. Um membro do alto escalão da GCM na época do governo Carlão Camargo disse à nossa reportagem que houve um equívoco no envio de documentos para Brasília e atrasou a assinatura do chamado “Termo de Adesão”.

Também havia o problema dos camelôs da Praça Joaquim Nunes. O Ministério da Justiça pedia que o ônibus ficasse instalado naquele local e em julho de 2015 uma ação do Ministério Público retirou o comércio ilegal da praça.

Passados três anos, as câmeras ainda não foram instaladas na cidade e o uso de drogas, principalmente em locais da região central, como Praça da Matriz, Atalaia e a região do Mercadão Municipal ocorre livremente, principalmente à noite.

Vale lembrar que na Praça da Matriz há duas câmeras instaladas e monitoradas pela GCM, além de equipamentos na Praça Joaquim Nunes, Mercadão, Rua Leon Psanquevich e Praça Niso Viana, mas, quem passa por ali e, principalmente moradores e comerciantes, reclamam da falta de monitoramento, que também gera vandalismo, com pichações e depredações de bens públicos e privados, que ocorrem, principalmente, aos finais de semana, quando o número de vândalos na região se eleva, devido ao movimento de bares e casas noturnas.

O que é o programa?

crack099Envolve uma ação integrada de três frentes de atuação: prevenção, cuidado e autoridade, no combate ao tráfico e uso, e também dando assistência ao usuário através de ações do Caps AD (Álcool e Drogas) e do Centro Pop. Em Cotia são cerca de 50 guardas civis treinados para o programa.

O ônibus fica estacionado em praças da cidade, mas ainda sem o monitoramento das câmeras (Em 2016 o ônibus chegou a ficar parado no pátio da GCM por falta de bateria e manutenção). Se estivesse instalada, a vigilância seria em tempo real, com giro de 360 graus de todos os equipamentos, com comunicação direta entre os guardas civis de dentro do ônibus com as viaturas de ronda.

O que diz a prefeitura

A “bucha” da documentação é da administração passada, mas, com nove meses da nova gestão, o problema das câmeras ainda não foi resolvido e entramos em contato com a prefeitura, que nos enviou a seguinte nota: “De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, está em fase de licitação a instalação dos totens com câmeras. Os totens
estarão instalados em pontos estratégicos, de maior movimento e com maior acesso e visibilidade ao maior número de pessoas. Assim que o contrato para instalação dos totens for assinado, será divulgado o mapa de localização“.