Pequenos e médios empresários acreditam em melhora nos negócios durante os próximos meses

Coach financeiro avalia momento econômico das MPEs.

O Índice de Confiança do Micro e Pequeno Empresário (ICMPE), medido nos 27 estados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), registrou 36,70 pontos, abaixo do nível considerado neutro de 50 pontos.

O pessimismo do micro e pequeno empresário com a economia também se dá pelo encolhimento de 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB) do país no segundo trimestre de 2015 – maior queda desde 2009.

Para o coach financeiro Robson Profeta, as altas cargas tributárias, o aumento da inflação e de taxas básicas de juros influenciam na queda das Médias e Pequenas Empresas (MPEs). ”Com o dinheiro mais caro, pessoas e empresas evitam captar recursos financeiros no mercado. Isto acaba por reduzir a produção e consumo, o que gera retração na economia, desemprego, etc… É um ciclo vicioso”, analisa.

Ainda há esperança

Em contraponto, as expectativas dos médios e pequenos empresários em relação aos próprios negócios para os próximos seis meses cresceram e chegou a 56,30 pontos.

Profeta afirma que é preciso estar atento para não entrar no ciclo da crise e que a queda de lucros pode ajudar em situações complicadas. ”A redução da margem de lucratividade pode ajudar não só na queda de índices inflacionários e taxas de juros básicas para a retomada da economia, mas também no fortalecimento da imagem da empresa no mercado, perante clientes e concorrência“.

Porém, o coach alerta que tudo deve estar dentro dos controles da empresa para que a situação não piore ainda mais. ”Esta redução deve ser calculada para que não gere necessidade de capital de giro e, consecutivamente, captar empréstimos mais caros“.

*  Robson Profeta – Coach Financeiro – www.robsonprofeta.com.br [email protected]