Os 50 anos dos Monkees, a primeira grande ‘armação’ do rock

Eles foram a primeira “boy band” da história, e também a primeira criada especificamente para a televisão – e existem dúvidas de que possam ter sido o primeiro grupo de rock artificial. só que, também, foram a primeira banda “artificial” a se rebelar contra os seus “criadores” e mostrar que tinham talento e dotes artísticos.

Os Monkees estão comemorando 50 anos da estreia do programa de televisão que ficou famoso na TV americana entre 1966 e 1968 – e que foi intensamente reprisado nas emissoras do Brasil e do mundo ao longo dos anos 70 e parte dos anos 80.

As comemorações incluem uma turnê pelos Estados Unidos com os três músicos ainda vivos – os norte americanos Michael Nesmith (guitarra e vocais), Peter Tork (guitarra, baixo e vocais) e Micky Dolenz (vocal e ocasionalmente bateria), todos septuagenários. Davy Jones, que era vocalista, era o único inglês e morreu aos 66 nos de idade em 2011, vítima de um ataque cardíaco. Nesmith, em princípio, não participaria da turnê, mas os produtores informaram recentemente que existe a possibilidade de o guitarrista subir ao palco em algumas ocasiões

A efeméride também será marcada pela  a gravação de um disco de músicas inéditas com produção de Adam Schlesinger, produtor musical da série “Crazy Ex-Girlfriend”. O álbum terá o título de “Good Times” e contará com Nesmith tocando e compondo.

Duas músicas inéditas já foram divulgadas na última sexta-feira (20). “Me and Magdalena” é uma composição de Ben Gibbard, músico da banda Death Cab for Cutie, e tem os vocais de Nesmith.

Não espere grande coisa, entretanto. É uma faixa que remete diretamente a Crosby, Stills,  Nash & Young e à própria carreira solo de Mike Nesmith. É um country-folk honesto, bem executado, mas sem brilhantismo.

A segunda é “You Bring the Summer”, com vocais principais de Micky Dolenz e de apoio de Peter Tork. a qualidade já melhora um pouco, fazendo referência direta ao pop básico da banda nos anos 60 – o tema de verão e sol não foi escolhido à toa. a canção é de autoria de Andy Partridge, da banda XTC.

Banda artificial?

Apesar da origem complicada e que enseja restrições pelos puristas, os Monkees foram uma banda bem legal, com um apelo pop estupendo, estando cercado por uma produção gigante, que se encarregava de tudo, incluindo músicos de apoio e compositores especializados – fatos que irritaram, e muito, o quarteto no final dos anos 60, e que contribuiu para a deserção dos músicos e o fim oficial, em 1971..

O grupo foi formado pela rede NBC, em 1966, para que pudesse rivalizar com os Beatles. Após o fim do grupo, em 1971, o Monkees tentou retomar as atividades em diversas outras oportunidades.

Foram vários os retornos nos 40 anos seguintes, o último em 2013, já sem Jones e com Nesmith de volta. Foram somente dois álbuns com músicas inéditas neste período, “Justus” e Then and Now”, ambos muito ruins

Apesar de nitidamente surgir como uma resposta aos Beatles, o sucesso extrapolou as mais altas expectativas.  No início, deveria ser apenas uma atração de TV – começou como um seriado -, com a realização de shows ocasionais.

Os músicos/atores (mais atores do que realmente músicos) foram selecionados em 1965 a partir de audições específicas e concursos.

Os quatro selecionados começaram a gravar os episódios da série no ano seguinte em um ritmo frenético, enquanto gravavam músicas pop de vários compositores, alguns contratados exclusivamente para abastecer os álbuns.

Entre os milhares de candidatos a monkee que participaram da seleção estava Stephen Stills, que futuramente tocaria no Buffalo Springfield e no maravilhoso Crosby, Stills, Nash & Young.

Dos quatro selecionados, Nesmith e Tork eram músicos dce formação. Dolenz foi ator mirim na TV norte-americana nos anos 50 e, nos anos 70 e 80, se tornou um respeitado ator de teatro na Inglaterra e nos Estados.

Já Jones era ator de formação – e ficou famoso no futuro por ter “obrigado” um certo cantor David Jones, de Londres, a trocar o seu nome em 1966, quando do lançamento de seu primeiro álbum – tornou-se David Bowie.

Como atores, o ritmo de trabalho era intenso, e piorou com o aumento do número de shows, quando se apresentavam com uma banda de apoio.

No estúdio, eles apenas cantavam, com uma série de músicos de estúdio participando das gravações, sempre com músicas escolhidas a dedo pelos produtores, mas aos poucos começaram a enfiar algumas composições próprias, como “You Just May Be the One”, de Nesmith, o melhor instrumentista deles. a canção é uma das melhores já gravadas pela banda.

Sucesso e respeito

A “armação” deu tão certo que os shows e os álbuns ficaram tão importantes quando o seriado de TV, e os Monkees se tornaram de fato uma banda de pop/rock no verdadeiro sentido da palavra, fazendo turnês extensas com músicos de apoio.

Tanto que o seriado acabou depois de três temporadas, em 1968, mas a banda continuou existindo sem vínculos com a emissora de TV – e sem as amarras que os impediam de gravar suas próprias composições, brecadas pelos produtores musicais. O programa televisivo acabou e 1968.

Ironicamente, o fim do seriado na TV foi o início do declínio, já que o tipo de pop bobinho, açucarado e inofensivo havia muito tempo estava fora de moda, atropelado pelo movimento hippie, pela psicodelia e pelas canções de protesto. Ainda houve tempo para um projeto ambicioso, a filmagem de um longa-metragem, “Head”, que fracassou nas bilheterias.

Os álbuns deixaram de vender como antes e os desentendimentos entre os quatro se tornaram mais frequentes. Peter Tork saiu em 1969 e Nesmith, no seguinte. Dolenz e Jones até tentaram levar adiante a banda como um duo, mas o fim foi inevitável em 1971.

Ao longo dos anos os quatro fizeram turnês solo com o material dos Monkees, até que houve uma tentativa de volta da formação original nos anos 80, sem sucesso. A partir de então Nesmith decidiu não mais participar de qualquer reunião oficial – comparecia apenas a eventos específicos, em shows esparsos de celebração.

Os Monkees foram uma armação? Sim, uma banda inventada por um produtor e fabricada em um estúdio de televisão, mas ganhou vida própria, e teve muitos méritos nisso – inclusive para romper com “pais” da ideia e seguirem caminhando por si só, mesmo com o risco – enorme – de insucesso.

Tiveram coragem e pulso para encarar esse desafio e superaram, ainda que por pouco tempo, a pecha de “banda artificial” – injustamente, era considerado algo como um Menudo ou New Kids on the Block da vida.

Por Marcelo Moreira – Combate Rock