Operação Corta Fogo reduz queimadas e incêndios florestais

Números da Operação Corta Fogo mostram que as ações implantadas tiveram impactos positivos na redução das ocorrências de queimadas e incêndios florestais. Segundo a Secretaria do Meio Ambiente, no período compreendido entre 2010 e 2014, o registro de incidentes passou de 5.194 para 4.717. Além disso, entre 2013 e 2014 foram treinados 4.832 brigadistas.

A Operação Corta Fogo faz parte do Sistema Estadual de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais no Estado. Foi criada em 2011 pelo Governo de São Paulo em atenção às ocorrências de incêndios, séria ameaça à biodiversidade e um dos principais problemas de degradação ambiental das unidades de conservação e do aumento da poluição do ar.

Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Polícia Ambiental, Cetesb, Fundação Florestal e Instituto Florestal integram o Comitê Executivo, responsável por elaborar as estratégias e ações dos quatro programas da operação: prevenção, controle, monitoramento e combate.

Ações práticas

O programa tem o objetivo de acompanhar diariamente os focos de incêndios e queimadas, bem como as condições climáticas que favoreçam o aumento do risco do fogo; emitir alertas e fornecer subsídios aos órgãos participantes da Operação Corta Fogo.

Para tanto, existem algumas ações práticas. São elas: campanhas em rodovias, para alertar os motoristas sobre os riscos de causarem incêndios às margens das pistas (pontas de cigarro e fogueiras, por exemplo), fiscalização de queimadas e incêndios florestais detectados por satélite, trabalho feito pela Polícia Militar Ambiental.

Telefones úteis
193 (Corpo de Bombeiros) – para relatar ocorrência de focos de incêndio
190 (Polícia Militar) – para denunciar queimadas ilegais ou balões