Músico cotiano Thiago Pimentel lança “Sal”, seu primeiro CD, com show em SP

O cantor e instrumentista Thiago Pimentel, morador de Cotia, lança dia 15 o seu disco Sal, com show na Capital.

Entre acordes simples e dissonantes, Thiago Pimentel canta e toca músicas de sua autoria com uma identidade definida e nuances do nosso cancioneiro popular. Músicas que inspiram a reflexão sobre o modelo da neo-sociedade em que vivemos e sobre este sentimento universal afetivo que é o amor. Passeando entre o real e o lúdico, apresenta aos ouvidos um ambiente de sonoridades e dinâmicas com uma sugestão de sabor às suas poesias, sabor esse que temos naturalmente na saliva e no suor. Sal é um impulso necessário para seguirmos tocando e refletindo.

O show de lançamento de “Sal” será no dia 15 de junho no Espaço Cia da Revista, às 21h, na Alameda Nothmann, 1135, em Santa Cecília.

Sobre Thiago Pimentel

Baiano da pequena cidade de Eunápolis, Thiago Pimentel chegou à Grande São Paulo ainda menino e não demorou a começar a desenvolver seu gosto pela música. Influenciado pelo irmão de um amigo, Thiago ganhou sua primeira guitarra aos 12 anos e no repertório não faltavam bandas como Metallica, Iron Maiden, Sepultura e Pantera. “Um dia vi o ensaio e adorei aquilo. Achei incrível o som da guitarra, então comecei a pedir que me ensinassem algumas coisas, até que ganhei minha primeira guitarra e nunca mais parei”, conta.

Com o passar do tempo, não apenas a técnica como também o gosto de Thiago foram se aprimorando e transformando. Estudou guitarra com Fábio Santini (Sá & Guarabira), depois ingressou na faculdade Cantareira, onde estudou com Abel Cardoso, Bob Wayt, e teve seus conhecimentos musicais mais aprofundados num curto período de um semestre.

Já profissional, Thiago acompanhou importantes nomes da música brasileira como Alcione, Claudya, Agnaldo Rayol e Chico Medori. Mas, apaixonado também pela composição, formou a banda que leva seu nome, com a qual apresenta composições autorais. Thiago é um estudioso das artes e, para ele, a música se aprende através da leitura, do cinema, da rua. “A música compõe meu dia. Gosto de ouvir coisas novas, novos compositores, ideias novas, gente ousada. A arte tá aí pra isso, para romper, quebrar e construir. Entrego todo o mérito da minha formação como pessoa e cidadão à música”, resume.