Metalúrgicos de Cotia e Vargem se manifestam contra reforma da Previdência

Os metalúrgicos de Osasco e região iniciaram nesta quinta-feira (2) uma série de manifestações nas portas de fábrica para informar os trabalhadores sobre os prejuízos que vão sofrer se o projeto de reforma da Previdência de Temer for aprovado no Congresso como está. 
 
Devem ser realizadas manifestações semanais, todas as quintas-feiras, abrangendo os 12 municípios da base territorial do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região. Elas vão reforçar o trabalho já realizado cotidianamente nas portas de fábrica e que, nos últimos meses, têm destacado as reformas da Previdência e Trabalhista. 
 
Nesta quinta-feira, foram realizados atos em frente a empresas como Feva, Elbac, Onix, Vicon, New Oldany (todas em Cotia) e Multivisão (Vargem Grande Paulista). 
 
O presidente do sindicato, Jorge Nazareno, avalia que o projeto do governo de Michel Temer é impossibilitar o acesso à aposentadoria, ao instituir a idade mínima e aumentar o tempo de contribuição. Sem falar nas drásticas reduções de valores de pensões e dos benefícios do LOAS. 
 
“Se a intenção é corrigir o tal rombo [da Previdência], que o governo fiscalize a sonegação e acabe com as isenções aos empresários. Essa reforma só tem cunho arrecadatório, busca esvaziar o caráter público e tima o trabalhador”, avalia Jorge Nazareno. 
 
Do Visão Oeste