Guardiões das Abelhas sem Ferrão – Parte 5

Hoje nós vamos ver alguns tipos de abelhas sem ferrão brasileiras. As abelhas Jataí (Tetrafonisca Angustula), são nativas do Brasil e produzem um mel fino, suave e levemente azedo; por suas propriedades medicinais, é indicado no tratamento de resfriado, bronquite, glaucoma e catarata, além de ser bactericida e atuar na cicatrização de feridas.

Elas são extremamente asseadas, não pousam sobre quaisquer dejetos, raramente coletam água e suas colmeias podem ser identificadas por sua entrada característica que é um canudo voltado para cima. Ao redor da base deste tubo elas depositam uma resina viscosa e pegajosa, onde ficam detidos insetos e outros intrusos.

As abelhas Mandaçaia (Melipona Mandacaia), sempre deixam uma abelha vigia no orifício de entrada da colmeia e daí vem o seu nome, a palavra indígena Mandaçaia significa “Vigia Bonito” (manda:vigia/çai:bonito). Ela tem tamanho aproximado de um centímetro de comprimento, fazem seus ninhos em árvores ocas e armazenam muitos litros de mel.

Nesta colônia, diferentemente das abelhas europeias, os machos podem realizar algum tipo de trabalho na colônia, como a desidratação do néctar, mas sua principal função é a fecundação.

A característica marcante da Mandaçaia é a boca de entrada da colmeia feita com geoprópolis que é uma mistura de barro com resinas extraídas das plantas. O mel desta abelha é procurado por seu sabor agradável, bastante liquido devido ao alto teor de umidade, fato este que requer o seu armazenamento sob refrigeração para evitar a fermentação.

SOMOS COTIA
facebook.com/ somoscotia
instagram.com/somoscotia

Foto: Abelhas Jataí ao redor de seu ninho. (Demetr/Wikipedia)

Leia publicações anteriores:

Guardiões das Abelhas sem Ferrão – Parte 4

Guardiões das Abelhas sem Ferrão – 3ª parte

Guardiões das Abelhas sem Ferrão – 2ª parte

Guardiões das Abelhas sem Ferrão – 1ª parte