Galeria de Arte e Fotografia Solange Viana apresenta exposição de Naira Pennacchi com curadoria de Mario Gioia

A Galeria de Arte e fotografia Solange Viana tem o prazer de apresentar a primeira exposição do ano, “Acordes Cromáticos”, da artista Naira Pennacchi, com curadoria do crítico de arte e curador independente Mario Gioia. A individual abre no sábado, 8 de fevereiro e permanece até 21 de março, com entrada franca.

Em 2020 a galeria completa 10 anos de atuação na Granja Viana, Cotia, com muita arte e cultura, desenvolvendo, além de exposições, feira de arte, oficinas, cursos e palestras sobre este assunto tão encantador: arte contemporânea.

Agora a galeria traz para a região a obra desta jovem artista, mineira, radicada em Ribeirão Preto (SP) onde serão apresentadas cerca de 15 pinturas inéditas, elaboradas, na sua maioria, no último ano. Para o curador, a obra da artista “parece se aproximar de uma leitura sinestésica, na qual ondas musicais perpassam a fisicalidade de camadas, faturas e superfícies do labor plástico-visual realizado por Naira. Ela não se furta a experimentar escalas, abordagens e materiais, entre outros aspectos, dentro do campo da pintura”, comenta Gioia em seu texto de apresentação (texto completo abaixo).

E ainda, para o curador, crítico, com passagens pela Folha de S. Paulo e Estadão, “nesta mostra, então, Naira recoloca, sem pedantismo e com um saudável frescor, problemáticas e questionamentos já bem resolvidos na gramática matisseana, e não deixando de se posicionar frente ao contemporâneo” diz Gioia. Acompanhe a galeria de arte nas mídias sociais para saber de tudo que está acontecendo sobre arte na nossa região.

SERVIÇO:
ACORDES CROMÁTICOS, de Naira Pennacchi
Acrílica s/ tela em diversos formatos
Abertura: 8 de fevereiro, sábado, das 14h às 18h, para convidados
Visitação: de 10 de fevereiro a 21 de março
De segunda a sexta, das 11h às 19h. Somente com hora marcada.
A Galeria de Arte e Fotografia Solange Viana fica na Rua São João, 246, no centrinho da Granja Viana, Cotia
Telefone 4777.0234 | [email protected] – @galeriadeartesolangeviana | galeriadearteefotografiasolangeviana.blogspot.com

Mario Gioia (São Paulo, 1974)
Curador independente e crítico de arte, é graduado pela ECA-USP (Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo).
Em 2016, a mostra Topofilias, com sua curadoria, no Margs (Museu de Arte do Rio Grande do Sul), em Porto Alegre, foi contemplada com o 10º Prêmio Açorianos, categoria desenho. De 2011 a 2016, coordenou o projeto Zip’Up, na Zipper Galeria, destinado à exibição de novos artistas e projetos inéditos. Na feira ArtLima 2017 (Peru), assinou a curadoria da seção especial CAP Brasil, intitulada Sul-Sur, e fez o texto crítico de Territórios forjados (Sketch Galería, 2016), em Bogotá (Colômbia). Em 2018, assinou a seção curatorial dedicada ao Brasil na feira Pinta (Miami, EUA) e a curadoria de Esquinas que me atravessam, de Rodrigo Sassi (CCBB-SP). Em 2019, iniciou o projeto Perímetros no Adelina Instituto, em SP, dedicado a artistas ainda sem mostras individuais na cidade, que contou com exposições de João Trevisan (DF) e Lara Viana (BA).
É colaborador de periódicos de artes como Select e foi repórter e redator de artes visuais e arquitetura da Folha de S.Paulo de 2005 a 2009. Integrou o grupo de críticos do Paço das Artes desde 2011, instituição na qual fez o acompanhamento crítico de Luz Vermelha (2015), de Fabio Flaks, Black Market (2012), de Paulo Almeida, e A Riscar (2011), de Daniela Seixas. Foi crítico convidado de 2013 a 2015 do Programa de Exposições do CCSP (Centro Cultural São Paulo) e fez, na mesma instituição, parte do grupo de críticos do Programa de Fotografia 2012. Em 2015, no CCSP, fez a curadoria de Ter lugar para ser, coletiva com 12 artistas sobre as relações entre arquitetura e artes visuais. Já fez a curadoria de mostras em cidades como Brasília (Decifrações, Espaço Ecco, 2014), Porto Alegre (Ao Sul, Paisagens, Bolsa de Arte, 2013), Salvador (Fragmentos de um discurso pictórico, Roberto Alban Galeria, 2017) e Rio de Janeiro (Arcádia, CGaleria, 2016), entre outras.

Naira Pennacchi (Jacutinga, 1980)
A Artista visual atualmente vive e trabalha em Ribeirão Preto.
No final de 2016 começa a frequentar o ateliê da artista plástica Eny Aliperti na cidade de Ribeirão preto, interior de São Paulo. Daí em diante começa a participar de grupos de estudo e acompanhamentos, permanecendo por algum tempo como integrante de grupos como o do crítico Mario Gioia, na cidade de Ribeirão Preto de 2017 a 2018, do grupo Ateliê da Praça, também na cidade de Ribeirão Preto (2017), prática e reflexão ministrado por Paulo Pasta no Instituto Tomie Ohtake em São Paulo (2018).
Participou também da feira Parte (2018) e da Casa Parte (2019) na cidade de São Paulo, bem como de alguns salões do interior do Estado como o 25º Salão de Artes Plásticas de Praia Grande/SP (2018) e o 16º Salão Ubatuba de Artes Visuais – Fundart, na cidade de Ubatuba (2019). Já no segundo semestre de 2019 foi selecionada a participar da residência W, que acontece no CAC W, na cidade de Ribeirão Preto/SP