Especialista alerta sobre o aumento de casos de pedra nos rins no verão

Mudanças na alimentação, constante reposição de líquidos e atenção à coloração da urina são algumas das principais orientações.

O Centro de Referência em Saúde do Homem, unidade da Secretaria de Estado da Saúde, alerta para o aumento dos casos de pedra nos rins durante o verão. As causas seriam o intenso calor de verão, associado ao aumento da transpiração e a falta da ingestão adequada de água.

Segundo o urologista Claudio Murta, do Hospital do Homem, nos períodos mais quentes do ano há um aumento de cerca de 30% no atendimento a casos de cálculos renais. O serviço, que é referência no tratamento de litíase, realiza mais de 50 cirurgias mensais somente nessa área, além de outros procedimentos urológicos.

Recomendações
Mudanças na alimentação, a constante reposição de líquidos e a atenção à coloração da urina são algumas das principais orientações para evitar o surgimento de cálculos renais.

As refeições diárias devem conter mais verduras, legumes, frutas e saladas. Os frutos do mar, por exemplo, ainda contém altas doses de ácido úrico, um dos responsáveis pelo desenvolvimento dos cálculos renais.

O especialista recomenda que a dieta ideal no verão para a saúde dos rins inclua primordialmente o aumento da ingestão de água (cerca de dois litros ao dia) e de sucos de frutas cítricas, associado à diminuição do uso de sal nos alimentos. “É importante também considerar a redução de frituras e carne vermelha nesta época de calor”, complementa.

Ficar atento à cor da urina também é importante. “Quanto mais transparente estiver a urina, melhor. Se estiver com aparência amarelada e escura, é sinal de que o corpo precisa de mais líquidos para manter-se hidratado, longe dos cálculos renais”, explica o médico.

Para finalizar, Murta alerta sobre o perigo das receitas caseiras, como chás popularmente conhecidos como ‘quebra-pedras’. “Nos casos de dores e cólicas renais, os pacientes com cálculos renais devem procurar o médico urologista para evitar infecções graves.”