Entrevista com Luiz Junior, diretor do curta-metragem Desiderium, Desiderata

Aos 40 anos, o cineasta cotiano Luiz Junior se prepara para lançar seu segundo curta-metragem. Juntamente com o coletivo Cão Andaluz Filmes, roteirizou, produziu e dirigiu o curta-metragem Desiderium, Desiderata, recentemente convidado para o Paragon Film Festival, dos EUA.

Nesta entrevista, Luiz Junior nos revela os bastidores, as dificuldades e as alegrias desta produção – que deve estrear online ainda em março/17.

Jornal Cotia Agora – O que chama atenção é o nome do filme… Por que esta escolha?

Luiz JuniorDesiderium, assim como Desiderata, são termos latinos. Desiderium significa “Desejo”, “Aquilo que se deseja”. Desiderata, por sua vez, é título de um poema medieval em que o autor diz “seja você mesmo. Sobretudo, não finja afeições”. A história gira por aí. Padre Francisco é um homem de Deus, mas acima de tudo, é um homem. E, assim como acontece em muitas histórias da literatura universal, ele será tentado. Não por qualquer mulher, mas por Lilith – a Rainha dos Demônios.

Jornal Cotia Agora – A escolha deste nome tem a ver com a temática, portanto?

Luiz Junior – Sim, sem dúvida. E também é um tema moderno. Afinal vivemos em uma sociedade onde passamos o tempo todo desejando, porém sem a real consciência de quais nossos desejos mais profundos, que nos conectam à alma. Desejo é uma temática mundana? Com certeza. Mas também é Divino, pois sem o desejo divino nada do que está aqui poderia ter sido criado.

Jornal Cotia Agora – Como foi dirigir sua esposa?

Luiz Junior – A escolha da Nathalia para o papel da Lilith se deu de forma muito natural – o nome foi sugerido por Daniel Ramos, nosso Produtor Executivo. Eu fiz a proposta e ela aceitou na hora. É uma mulher poderosa, que além de trabalhar no dia-a-dia com o resgate dos poderes femininos ainda tem uma presença forte, uma personalidade expressa em suas feições. Muita gente pergunta se não rolou algum ciúme nas cenas mais picantes. Não dá tempo. O cinema é feito de um jeito que o que vemos na tela não rolou “naturalmente”. Cada segundo tem o dedo do Diretor, da equipe técnica, dos atores. Todos muito profissionais, e o resultado ficou excelente.

Jornal Cotia Agora – Houve algum problema que pudesse colocar a produção em risco?

Luiz Junior – Sim. Pelo roteiro e pelo projeto de arte da Elise Amin e do Victor Rodrigues, precisaríamos de uma Igreja do período colonial para a filmagem, o que não foi nada fácil de se encontrar. Na última semana antes de engavetarmos o projeto porém, o proprietário da Fazenda Resgate autorizou o uso da Capela de sua propriedade. Fomos até lá conhecer e o encanto foi imediato.

Jornal Cotia Agora – Em que cidade o filme foi rodado?

Luiz Junior – Totalmente rodado na Fazenda Resgate, em Bananal – a 350 km da cidade de São Paulo.

Jornal Cotia Agora – Como foi composta a equipe técnica do filme?

Luiz Junior – Nos conhecemos em outras produções, como A Mente e Osasco, 1910 – que, aliás, também foi roteirizado e dirigido por mim. Meu assistente foi o João Florença, que tem um conhecimento fílmico absurdo. A direção de arte ficou por conta da Elise Amin e do Victor Rodrigues – e basta ver tudo o que está em cena para ter noção da grandiosidade do trabalho deles. O Daniel Ramos e eu contratamos a Nathalia Saphyra e o Franz Granja, que vem fazendo excelentes trabalhos no cinema, no teatro e na televisão. A fotografia ficou por conta do excelente Gui Herrera, que captou plenamente o que eu desejava para as cenas… A cena do quarto impressiona! O Fabiano José teve um trabalho bastante participativo na captação de som e na logagem… E também o Hiuri e a Priscila, que reforçaram o elenco e deram uma baita força no set de filmagem. Fizemos questão que todos lessem o roteiro e participassem da reunião técnica que aconteceu na véspera da filmagem, na pousada em que estávamos hospedados.

Jornal Cotia Agora – Você é roteirista, diretor de cinema, astrólogo, escritor… Quais são os próximos projetos?

Luiz Junior – Atualmente estou para lançar o terceiro e último volume da série Reinos em Guerra, o Pergaminhos de Lemanto… Também estou terminando um drama, e este campo é novidade para mim. Deste estou já no capítulo final. Comecei a trabalhar no livro Peabiru – caminho para o paraíso, que abordará o tema das Caveiras de Cristal. Já no cinema estou na produção de Atitudes Perigosas, que terá a Direção do João Florença. E junto com ele estou trabalhando em um roteiro policial de longa-metragem.

Jornal Cotia Agora – Voltando para o Desiderium… Vocês estão inscrevendo o curta em Festivais de Cinema?

Luiz Junior – Sim, estamos inscritos em diversos festivais. Inclusive tivemos o convite para alguns festivais importantes, como o Paragon e o Festival de Cortometrajes de Vinarñs. O mais importante no momento é divulgar nosso nome e nos fazer presentes no meio do cinema. E vamos aguardar os resultados também, com ansiedade.

Jornal Cotia Agora – Para quando podemos esperar o lançamento de Desiderium?

Luiz Junior – Para o meio de março deste ano. Estamos na reta final da divulgação. Já podem conferir o trailer no link https://www.youtube.com/watch?v=jfpi58ah_Ac – link para o trailer oficial do filme.

*Na foto: Franz Granja e Nathalia Saphyra