Coluna espírita de Lucio Cândido Rosa: Progressão dos Mundos

Não se turbe o vosso coração. Crede em Deus, crede também em mim. Há muitas moradas na casa de Meu Pai; se assim não fosse, eu já vo-lo teria dito, pois vou para vos preparar o lugar, e depois que eu tenha ido, e preparado o lugar, eu voltarei e vos retomarei para mim, a fim de que lá onde eu estiver aí estejais também. (João, cap. XIV, v. 1,2,3).
Quando lemos sobre as Leis Naturais, compreendemos que tudo e todos estão inseridos na Lei do Progresso.
Todos os fatos, bons e ruins colaboram para isso.
A própria destruição, que acreditamos ser o fim de todas as coisas, não é senão um meio para chegar-se à perfeição através da transformação que nos conduz a um estado mais perfeito.
Tomemos por exemplo, as guerras, furacões, terremotos, tsunamis, que para nós, são imensos desastres e prejuízos.
Mas, nada é aniquilado. Tudo o que morre, renasce com maior vigor.
Vale lembrarmo-nos de um famoso químico francês, Antoine Laurent Lavoisier, autor da célebre frase: “Na Natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.
Quem comprova isso é a ciência.
Nada permanece estacionado na Natureza. Se pudéssemos acompanhar um mundo, desde o seu nascimento, observaríamos a aglomeração de átomos, proporcionando seu progresso. Dessa forma progridem paralelamente, a humanidade, os animais, os vegetais, as habitações…
A Terra, segue a Lei do Progresso (que é uma das Leis Naturais), física e moralmente, conseguindo elevar-se na escala dos mundos.
Ela já esteve em condições físicas e morais inferiores às da atualidade.
Fomos habitantes de um mundo Primitivo. Hoje estamos em um mundo de Expiação e Provas, às vésperas do início do mundo de Regeneração.
Fazemos parte dos globos do Universo, e como podemos crer, não fomos os primeiros seres da criação, ainda procurando desenvolver a inteligência, a bondade e a perfeição.
Ao adentrarmos o mundo de Regeneração estaremos no meio da escala evolutiva dos mundos, que é a seguinte: Primitivo, Expiação e Provas, Regeneração, Felizes, Celestes ou Divinos.
Assim, há os que são muito primitivos, outros, que estão na mesma categoria que o nosso, e outros ainda, muito mais evoluídos.
Os mundos, à medida que evoluem, diminui a influência da matéria, tornando-se mais espiritualizados.
A classificação dos mundos, foi feita pela análise comportamental dos Espíritos que os habitam.
Ainda há aqueles, em que o Bem e o Mal ainda se misturam.
Não há um comportamento único, e ainda os Espíritos “ vestem-se” com indumentárias mais rudes, tanto o corpo físico quanto o corpo espiritual.
Os mundos Primitivos, são aqueles nos quais ocorrem as primeiras encarnações do Espírito, que passaram da faze animal para a hominal.
Aí a força bruta impera pela necessidade da sobrevivência.
Os de Expiação e Provas, são aqueles cujo predomínio é ainda o Mal.
Conforme vai evoluindo, já há a presença do Bem, fazendo parte da vida desses Espíritos, tendo em vista, sua regeneração.
Costuma-se dizer que é um planeta escola, hospital ou até presidio, de acordo com a condição de cada habitante.
Os de Regeneração, são aqueles que podemos entender, que são estações de descanso, após as lutas enfrentadas nos mundos já vividos.
Esses Espíritos estão submetidos às leis que regem a matéria, sentem as mesmas sensações e os mesmos desejos, mas livres das paixões desordenadas, das quais eram verdadeiros escravos.
Mundos Felizes, são habitados por Espíritos que não necessitam de corpo material, portanto, não estão sujeitos às necessidades, nem às doenças, nem às transformações decorrentes da predominância da matéria.
Aí o Bem sobrepuja o Mal.
Já, os mundos Celestes ou Divinos, são habitados por Espíritos puros. Ali reina exclusivamente o Bem. Nele o Espirito não procura elevar-se acima dos seus semelhantes, mas acima de si mesmo, aperfeiçoando-se.
Esses Espíritos puros, não estão confinados em seus mundos, como nós, sobre a Terra. Podem estar por todo Universo em missão de amparar os menos evoluídos.
O Sol é um local de reunião de Espíritos Superiores que, de lá irradiam energias positivas, energias de amor, em forma de calor, através do Fluido Cósmico Universal.
E assim, sucessivamente, os Espíritos mais avançados, cada um a seu turno, auxiliam na tarefa do Pai, para a elevação “dos irmãos”, que foram criados, (como todos), simples e ignorantes, mas destinados ao progresso, através das encarnações e da imortalidade da alma.
Muita Paz!

* Lucio Cândido Rosa escreve quinzenalmente sobre espiritismo e espiritualidade no Jornal Cotia Agora. Quer enviar sugestão de algum tema para que ele aborde? Envie para o email [email protected]