Coluna de Si Diniz: Como a família é importante no processo de tratamento da obesidade

Quando olho para as fotos antigas, o que me pergunto é como eu deixei a situação ir tão longe?
Como as pessoas que me amam não me frearam? Qual o papel da família nesse momento?
Se parar um pouco e refletir você pensa, quando um familiar ou amigo se envolve com bebida, fuma demais ou usa droga você dá conselhos, em casos extremos sugere até internação.

Quando alguém que você ama se envolve em más companhias você também dá conselhos, pede para se afastar e tal. Quando alguém que você ama sai à noite, você sempre fala, cuidado com os assaltos, cuidado no farol, não corre etc…

É nosso costume ser super protetor né? Aí eu me pergunto, por quê quando alguém que amamos come demais, come errado, se afunda dia a dia na obesidade e vai perdendo a saúde pouco a pouco, você não dá conselhos também? Porque também não indica um médico?
Eu acredito que a comida seja uma droga liberada. Ela se usada em excesso e de forma errada pode sim matar, porque traz uma série de problemas de saúde, que todos conhecemos.

E a pergunta que fica é, porque não é levado tão a sério? Porque fazer bullying com quem ainda está sofrendo desse mal em vez de estender a mão e ajudar?
Porque ao invés de dizer, você é tão bonita de rosto porque não emagrece? Você não diz, como eu posso te ajudar a enfrentar essa dificuldade?
Que as famílias possam se unir, ter coragem de enfrentar essa doença que está em todos os lares e, lembre-se, demonstrar amor também é falar a verdade, também é dizer não!

Eu tive que encontrar o caminho sozinha, mas hoje minha família faz parte dessa rotina, porque quero que todos sejam felizes e saudáveis!!
Antes 97.4 quilos
Hoje 70.4 quilos
Meta 65 quilos
E você? Como foi seu processo? Como sua família te ajuda? Sua historia pode ajudar muitas pessoas!!
Me conte!
Toda minha rotina você pode acompanhar no meu Instagram: @sidinizfit
Bjs Si!

*Si Diniz escreve sobre saúde, obesidade e  qualidade de vida quinzenalmente no Jornal Cotia Agora.