Psicóloga Nívea Guterres: Depressão Pós-parto

Sabemos que a gravidez é um momento especial na vida da mulher. Mas também sabemos que ela também traz algumas inseguranças e condições de saúde mental que muitas vezes podem precisar de tratamento, aconselhamento, ajuda profissional. É o caso da depressão pós-parto, um problema que atinge, cerca de 25% das mulheres no Brasil, segundo uma pesquisa feita pela Fundação Oswaldo Cruz. Observa-se pelos resultados do estudo, que a depressão pós-parto é uma condição relativamente comum, com total possibilidade de tratamento. Basta conseguir detectá-la e buscar ajuda o quanto antes. Por isso, preparei este texto hoje para ajudá-la a entender melhor sobre o problema.

Primeiramente, é preciso conseguir separar a depressão pós-parto de uma tristeza ou melancolia passageiras, que podem vir de uma insegurança qualquer em relação à criação da criança. É normal que a mulher se sinta frágil ou triste nas primeiras semanas após dar à luz, já que é um período de importantes mudanças hormonais. Porém, após esse período, é importante ficar atenta ao prolongamento dessas sensações.

A depressão pós-parto é uma combinação de fatores genéticos, hormonais e ambientais, podendo durar de meses a anos se não tratada e até evoluir para maior gravidade do caso.  Em um âmbito geral, a doença é uma condição que causa falta de energia crônica para realizar até atividades mais simples do dia, como tomar banho, além de dificuldade em cuidar do bebê. Quando esse sentimento se prolonga, é importante procurar um profissional para que o tratamento adequado seja iniciado.

Os sintomas da depressão pós-parto, tristeza constante; falta de energia para realizar atividades da rotina; rejeição ao bebê; insegurança; sentimento de que não é capaz de criar o filho. Uma mulher com depressão pós-parto pode ainda sentir irritabilidade excessiva, vontade de chorar a todo o momento, perda do bom humor, preocupação excessiva com a própria saúde e problemas para dormir.

Assim como uma depressão comum, a depressão que vem após o parto e precisa ser diagnosticada por um psiquiatra.  Com o laudo do psiquiatra você inicia o tratamento psicológico. Este tratamento, em muitas vezes envolve medicação e psicoterapia. Portanto, ao perceber que as sensações de tristeza e falta de energia estão presentes e persistindo por muitas semanas, procure um psiquiatra e um psicólogo   para agendar e realizar o tratamento indicado. Assim, você vai poder curtir tranquila todas as boas sensações da maternidade!
 
*Psicóloga Nivea B Guterres/ CRP-06/127300 www.niveaguterres.com.br -Fone:9-7372-1087, escreve quinzenalmente no Jornal Cotia Agora.