Psicóloga Fernanda Piva: “O perigo das redes sociais nas relações”

A tecnologia foi criada para facilitar a comunicação e a relação com as pessoas, mas em muitos casos, ela vem se tornando prejudicial.
É comum que pessoas ciumentas acabem tendo grandes problemas procurando o tempo todo investigar a vida do parceiro, amigos, antigos relacionamentos, família, controlando as conversas, os passos, a vida, as conquistas e adoecendo, muitas vezes imaginando algo que na realidade pode nem ser.
Tem pessoas, que até se utilizam do whatsapp, para controlar o parceiro e exigir 24 horas por dia relatório dos passos dele.
As tecnologias não devem ser uma obrigação de comunicação constante – ninguém precisa mandar notícias o tempo todo, nem responder às mensagens imediatamente.

A necessidade de investigar a vida do outro demonstra falta de confiança – que nem sempre tem ligação com alguma atitude do parceiro. Você pode estar fazendo uma projeção de atitudes que você mesmo teria ou gostaria de ter.

Isso pode se tornar um vício doentio, passa a ocupar todo seu tempo, você só pensa nisso, e vive para isso. Começa a prejudicar emprego, relações sociais entre outras coisas.
Parece mentira, mas ocorre. E você enxerga coisas que não existe, que sua obsessão e sua imaginação ajudam a criar, fantasmas da internet, muitas vezes o parceiro acaba pagando por algo que nem sequer pensou em cometer.
Normalmente, as pessoas que agem dessa forma, se sentem inseguras e desconfiadas.
Temos que ter cuidado para não invadir a privacidade do outro e desrespeitar sua individualidade.
Cada um tem sua própria vida, com seus amigos, sua rotina, seus gostos, e também uma vida a dois. Uma não anula a outra. Não é só porque você está em um relacionamento que não pode conversar com mais ninguém. A necessidade de policiar o parceiro o tempo todo pode ser um sinal de alerta de que talvez seja a hora de procurar ajuda profissional.
Respeite a privacidade do outro. A vida a dois não anula a vida individual – cada um pode (e deve) ter sua rotina e seus amigos.
E a verdade é que você vigiar o tempo todo o outro, não é eficaz, porque o desejo e a fantasia do parceiro, não tem como você controlar.
Se você não consegue controlar a necessidade de vigiar o parceiro, procure ajuda de um profissional.

Cuide de você e de sua saúde emocional!

*Fernanda Corrêa Piva Takeda – CRP 06/ 92210 – Psicóloga Clínica – Telefone: 9-9738-3350, escreve quinzenalmente no Jornal Cotia Agora. Facebook: https://www.facebook.com/fernandapivapsicologa/ – email: [email protected] Consultório na Rua dos Manacás, próximo ao Colégio Rio Branco. Agende já sua consulta.