Cineasta cotiano Luiz Júnior produz novo filme e busca apoio financeiro

Madrugada de 7 de janeiro de 1910. Reunidos em frente a um pequeno chalé próximo à atual Avenida dos Autonomistas, no antigo bairro e atual cidade de Osasco, na Região Metropolitana de São Paulo, alguns jornalistas, entusiastas e apoiadores aguardam ansiosamente pela partida no motor do avião.

Dimitri Sensaud de Lavaud, hispano-francês naturalizado brasileiro, dá partida no motor do aeroplano São Paulo, após horas de preparação do motor pelo seu auxiliar Pelegatti. O avião correu lentamente pela pista de terra até levantar voo, e percorrer 106 metros a 4 metros de altura, em 6 segundos e 18 décimos.

Era a primeira vez que alguém pilotava um avião na América Latina. Dimitri honrava o legado de Alberto Santos Dumont. O feito, amplamente divulgado pelos jornais, caiu no esquecimento. Hoje, o mundo todo celebra o feito como sendo do mexicano Alberto Braniff, que faria a mesma proeza no dia seguinte ao voo do São Paulo.

Dimitri Sensaud de Lavaud, engenheiro e inventor de Osasco, foi ainda responsável por outras invenções, como os automóveis Sensaud de Lavaud, lançado na França contendo um equipamento revolucionário à época, mas que hoje é comum nos automóveis mundo afora – o câmbio automático. Preso pela Alemanha Nazista durante a Segunda Grande Guerra, Dimitri foi solto, porém morreu desgostoso e empobrecido aos 64 anos. Seu corpo está enterrado próximo de Paris.

Com produção de Luiz Junior, Franz Granja e Mário Braga, o curta metragem tem em seu elenco Franz Granja, GpeteanH, Viviane Monteiro e Milton Aguiar, a equipe Cão Andaluz Filmes irá recontar parte dessa história, no curta-metragem Osasco, 1910, que resgata um pouco da história de nosso país. Para isso, está arrecadando recursos através de financiamento coletivo. Acesse nosso link no Vakinha e participe deste projeto!

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/curta-osasco-1910

Estamos procurando também por empresas apoiadoras. Quem se interessar, nos procure no site www.osasco1910.com.br