Apesar de poucos dias chuvosos, em janeiro foram registrados 1.770 raios sobre Cotia

Neste início de 2019, principalmente durante todo o mês de janeiro, choveu pouco em Cotia, um ano atípico, diferente dos últimos, quando houve recorde de dias chuvosos.

Com as chuvas, vem os raios e em Cotia ocorreu um fenômeno recente que foi a queda de raios sobre parte do município, mesmo sem chover. Muita gente comentou, principalmente nas redes sociais do Jornal Cotia Agora que muitos raios e relâmpagos foram avistados e sentidos na cidade, mas a chuva acabou desviando seu rumo.

O Jornal Cotia Agora fez contato com o Elat – Grupo de Eletricidade Atmosférica do Inpe, pedindo o número exato de raios sobre a cidade. De 1º a 31 de janeiro de 2019, foram registrados 1.770 raios para o solo em Cotia.

É um número alto se comparado com o do mesmo período passado. Pedimos em março de 2018 para o Elat os números do verão e de dezembro de 2017 até o dia 6 de março de 2018, Cotia teve 680 raios nuvem-solo, um número bem abaixo do registrado no período anterior (2016-2017), quando aconteceram 5.900 raios do mesmo tipo.

Outro dado comparativo pode ser o de 1º a 31 de janeiro de 2017, quando 2.780 caíram sobre o município.

Os dados enviados ao Jornal Cotia Agora são fornecidos pela nova rede BrasilDATDataset operada com exclusividade pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do INPE.

Cuidados com os raios

É importante redobrar a atenção e se proteger dos raios, já que a descarga elétrica corresponde a cerca de mil vezes a intensidade de um chuveiro elétrico.

O principal alerta é que, se não for possível se abrigar em local fechado no momento dos raios, a pessoa deve diminuir a incidência em relação a nuvem, ou seja, agache, evite de ficar em pé, ficar deitado, evite de usar correntes douradas e metálicas, diminuindo assim a exposição aos raios.
Confira as orientações da Defesa Civil do Estado de São Paulo para se proteger dos raios durante as tempestades:

– Evite lugares abertos, como estacionamentos, praias e campos de futebol;
– Abrigue-se em casa, edifício ou em instalação subterrânea como metrô;
– Não permaneça em rio, mar, lago ou piscina;
– Se estiver no carro, mantenha os vidros fechados, sem contato com as partes metálicas do veículo;
– Caso não encontre um abrigo por perto, fique agachado com os pés juntos, curvado para frente, colocando as mãos nos joelhos e a cabeça entre eles até a tempestade passar;
– Mantenha distância de objetos altos e isolados, como árvores, postes, quiosques, caixas d’água, bem como de objetos metálicos grandes e expostos, como tratores, escadas e cercas de arame;
– Evite soltar pipas, carregar objetos, como canos e varas de pesca e andar de bicicleta, motocicleta ou a cavalo;
– Mantenha distância de aparelhos e objetos ligados à rede elétrica, como TVs, geladeiras e fogões;
– Evite o uso de telefone, a menos que seja sem fio ou celular;
– Fique afastado de janelas, tomadas, torneiras e canos elétricos;
– Evite tomar banho durante a tempestade.

Todo ano, 50 milhões de raios caem sobre o Brasil

Uma equipe de 30 profissionais do Elat monitora, durante 24 horas, as ocorrências no país. São eles que emitem os alertas sobre a chegada de uma tempestade e acompanham o paradeiro dos cerca de 50 milhões de raios de caem no Brasil todos os anos.

“Nós fazemos monitoramento em tempo real, com modelos que interpretam os dados captados pelos nossos sensores espalhados pelo país”, detalha Osmar Pinto Junior, coordenador do Elat, que foi criado em 1995.

A rede operada pelo Elat, a BrasilDAT, tem 70 sensores distribuídos pelo território nacional. “Aqui nós avaliamos as imagens enviadas por esses equipamentos, fazemos os relatórios avisando onde irão cair os raios e passamos aos nossos parceiros”, diz Diovane Rodolfo de Campos, técnico do núcleo, baseado em São José dos Campos, no estado de São Paulo, Sudeste do Brasil.

Os parceiros do Elat são empresas, principalmente dos setores elétrico e da construção civil. Para elas, saber com antecedência por onde a tempestade de raios irá passar tem importância estratégica.

Uma distribuidora de eletricidade, por exemplo, tem a chance de desligar as partes da rede localizadas na região de ocorrência dos raios ou redistribuir a energia por linhas que evitem a área. No caso de uma empreiteira, quando a rota das descargas elétricas coincide com a localização de uma obra, a empresa dispensa os trabalhadores.