Alunos do Sesi Cotia “brilham” em festival de robótica em São Paulo

Mais de 600 crianças de 64 escolas fazem demonstração de robótica na WorldSkills São Paulo 2015.

E, entre os jovens competidores da WorldSkills São Paulo 2015, estava também uma galerinha de pré-adolescentes e adolescentes, mostrando seus skills (competências) em um Festival de Robótica.

Eles não participam da maior competição de educação profissional do mundo. Ainda nem escolheram que profissão seguir quando crescerem. Mas já se comportam como estrelas da tecnologia. Dão entrevistas, posam para fotos, como a pequena Talita Francisco, de 12 anos, que deixa orgulhosa a mãe Patrícia Francisco, quando fala de sua participação no Festival, com os olhos brilhando de alegria.

“Já passamos pelo primeiro round do Festival e vamos para mais dois, com vontade e esperança de vencer”, explica Talita.

Ou como informa João Pedro, membro da equipe de Talita, também com 12 anos, todos da escola Sesi de Cotia.

“O nome do nosso robô é Jumpers Jr. (saltadores) porque cada passo que superamos, passamos para uma nova etapa. E Jr. porque ele ainda está aprendendo. E vamos chegar lá”, afirma João

Segundo Mário Eugênio, coordenador de Robótica do Sesi de São Paulo, o ensino de robótica ainda não é uma profissão, como as disputadas na WorldSkills.

“A robótica é uma ferramenta para as crianças aprenderem uma ciência, como a matemática, por exemplo, e tomar a decisão de escolher uma profissão”, disse.

De acordo com Mário Eugênio, o Festival de Robótica Regional, que não faz parte das provas da WorldSkills São Paulo 2015, pois é apenas demonstração, reúne 64 equipes de 64 escolas do estado de São Paulo. Cada equipe tem em média 10 integrantes.