83% reduzem consumo de água em junho na região metropolitana de São Paulo

Uma parcela de 83% dos moradores da região Metropolitana de São Paulo reduziu o consumo de água em junho.

Com isso, o índice recorde de adesão, registrado em maio, à campanha para enfrentar a crise hídrica, realizada pela Sabesp, foi mantido. Os dados foram divulgados ontem pela concessionária.

O levantamento aponta ainda que, em junho, a economia média foi de 6,2 mil litros por segundo, volume suficiente para abastecer cerca de 1,9 milhão de pessoas ou as populações das cidades de Campinas e São Bernardo do Campo somadas.

Por outro lado, 17% da população ampliaram, nesse período, o uso da água. E, desse total, 10% foram multados por terem ampliado o gasto em comparação à média registrada entre fevereiro de 2013 e janeiro de 2014. Os demais 7%, de acordo com a Sabesp, elevaram o gasto, mas não foram enquadrados na multa por consumirem menos de 10 mil litros mensais ou estarem cadastrados na Tarifa Social.

Já dos 83% que reduziram o gasto de água, 73% ganharam desconto na tarifa, enquanto os demais não baixaram o gasto em índice suficiente para assegurar o abatimento.

Quem reduz o consumo em mais de 20% ganha um desconto de 30% na conta. Já uma redução entre 15% e 20% garante abatimento de 20%, enquanto quem economiza entre 10% e 15%, em relação à média de fevereiro de 2013 a janeiro de 2014, tem uma redução de 10%. Já a multa é de 40% sobre o valor da tarifa de água para quem exceder até 20% a média do consumo e de 100% para quem ultrapassar 20% da média.

O objetivo da campanha, em andamento desde o início de 2014, é evitar um colapso nos mananciais que garante o abastecimento na Grande São Paulo. Dentre eles, o Cantareira, que garante o fornecimento a 5,3 milhões de moradores dessa região, incluindo os de Osasco, operava contem com 19,4% de sua capacidade, um ponto percentual a menos que o registrado na segunda-feira.

Do Webdiario