62% das pessoas têm medo da polícia, aponta pesquisa Seade

Embora o medo de sofrer violência, por parte de criminosos, seja absoluto entre a população brasileira, atingindo um índice de 91%, o mesmo temor, mas tendo como alvo a polícia, está em crescimento.

É o que aponta estudo realizado pela Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados) que faz um “raio X” da Segurança Pública no Brasil. De acordo com levantamento, além de 91% da população ter medo de sofrer nas mãos de bandidos, 81% temem ser assassinados. Esse número, levantado em 2015, é 24% maior que levantamento anterior, com dados de 2012, quando 65% da população confirmou ter o mesmo receio.

Já quando a pergunta muda para o medo de sofrer violência por parte da PM, o crescimento, nesse mesmo intervalo, foi de 29%. Atualmente, 62% da população teve ser alvo de algum tipo de agressão por parte de policiais militares, enquanto em 2012 o índice era de 48%. Dentre essa parcela, 34% disseram ter muito medo, número que ficou estável nos dois períodos. Outros 28% afirmaram ter pouco medo, índice que era de 11 em 2012. Já o total de pessoas que afirmou não ter medo de sofrer violência da PM caiu de 52% para 38%.

O medo de que a agressão parte da Polícia Civil também cresceu em proporção bem menor, de 8%. Hoje, 53% dos entrevistados responderam que sentem esse medo, contra 49% em 2012. Dentre eles, 25% têm muito medo, índice que caiu em relação ao período anterior, que era de 33%. Já os que têm pouco medo passou de 16% para 28%. Por outro lado, a parcela da população que não tem medo de sofrer esse tipo de agressão caiu de 51% para 47%.

A pesquisa foi divulgada no mesmo período em que casos de violência policial vêm ganhando destaque. O mais recente deles aconteceu no feriado de 7 de Setembro, no bairro do Butantã, na Capital, quando um PM jogou um suspeito, algemado, de cima do telhado de uma casa. Na mesma ação, outro suspeito morreu baleado. Já na região, Policiais Militares e Guarda Municipais são os principais suspeitos de chacinas que deixaram 19 pessoas mortas em Osasco e Barueri, no dia 13 de agosto. A principal linha de apuração é de que os ataques tenham sido feitos por policiais.

Do Webdiario