21% aumentam consumo de água na Grande SP. 13% foram multados

O índice é o mais alto desde o início da cobrança da sobretaxa, que começou em fevereiro deste ano.

A população da região Metropolitana de São Paulo aumentou o consumo de água em outubro. É o que aponta balanço divulgado pela Sabesp. De acordo com a empresa, 21% dos consumidores elevou o gasto durante o mês passado. Em setembro, o índice de gastões havia sido de 19%. Além disso, dentre eles, 13% foram multados por aumento acima da média. Sem setembro, a sobretaxa havia sido de 8%. Esse foi ainda o maior índice de autuações desde que a multa começou a ser cobrada, em fevereiro deste ano.

O restante dos clientes que aumentaram o consumo não foram multados, de acordo com a companhia, porque consomem o volume mínimo de 10 mil litros por mês. A multa é de 40% sobre o valor da tarifa de água para quem exceder até 20% a média do consumo ou 100% sobre o valor da tarifa de água para quem ultrapassar 20% da média. O levantamento aponta ainda que 79% dos clientes reduziram o consumo no período. Mas, dentre eles, 67% tiveram direito ao desconto, que é aplicado para quem consegue diminuir o uso de água em menos de 10% do que consumiam, em média, no período de fevereiro de 2013 a janeiro de 2014, antes da crise. Dentre todos os clientes que receberam bônus no mês passado, 56% reduziram o consumo em mais de 20% (faixa de bonificação de 30%), 5% diminuíram o uso entre 15% e 20% (faixa de bônus de 20%) e outros 6% tiveram um gasto de água entre 10% e 15% menor e ganharam bônus de 10%.

A Sabesp também faz um alerta sobre a importância da população continuar economizando água, mesmo com a volta das chuvas. E revela que a economia de água feita pelos moradores fez com que a companhia deixasse de retirar no mês passado 16 bilhões de litros das represas que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo e a área de Bragança Paulista. O volume é suficiente para abastecer cerca de 2 milhões de pessoas, e equivale à capacidade total do Sistema Alto Cotia (16,5 bilhões de litros). Ainda segundo a companhia, o Sistema Guarapiranga, atualmente o maior da Região Metropolitana de São Paulo e responsável por abastecer 5,8 milhões de pessoas, mais que dobrou seu nível no período de um ano. De 11 de novembro de 2014 até a última quarta-feira, o índice subiu de armazenamento subiu de 36% para 85,9%. Já o sistema Cantareira, que abastece 5,3 moradores da Grande São Paulo, incluindo Osasco, operava ontem com 17,3% de sua capacidade. Desde o início de novembro, choveu 77,6 mm sobre o manancial.

Do Webdiario